brumadinho Peritos de Brasília chegam ao IML de BH para auxiliar na identificação dos corpos de Brumadinho

Por: Elian Guimarães - Estado de Minas

Por: Estado de Minas

Publicado em: 29/01/2019 12:15 Atualizado em:

Nessa segunda-feira, a Polícia Civil divulgou uma força-tarefa para agilizar o reconhecimento dos corpos no instituto. Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
Nessa segunda-feira, a Polícia Civil divulgou uma força-tarefa para agilizar o reconhecimento dos corpos no instituto. Foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press
Quatro peritos de Brasília chegaram, no final da manhã, ao Instituto Médico Legal de Belo Horizonte para auxiliar os 88 profissionais que atuam na identificação e liberação dos corpos das vítimas do desastre em Brumadinho, na grande BH. São dois médicos legistas, uma perita especializada em odontologia e um papiloscopista (profissional que trata da identificação humana por meio das  palmas das mãos e sola dos pés). Até às 12h desta terça-feira, somente familiares de um desaparecido estiveram no local.

Nessa segunda-feira, em virtude do aumento significativo de vítimas do desastre, a Polícia Civil informou que a Academia de Polícia de Minas Gerais (Acadepol) organizará força-tarefa para agilizar o processo de reconhecimento dos corpos no IML. Além do aumento de profissionais envolvidos no processo, a Acadepol desenvolveu um cadastro especial para facilitar a identificação dos mortos.

O local na capital atualmente tem capacidade para 77 câmaras frigoríferas e pode estender o atendimento a outros 350 corpos. Até então, 88 médicos-legistas estavam trabalhando no processo. A maioria dos corpos tem sido reconhecidos por impressão digital.

A Acadepol fez inicialmente o cadastro de informações de 517 famílias que tiveram desaparecidos para facilitar o momento da identificação dos corpos – em certos casos, vários membros de famílias cadastraram um mesmo desaparecido. A Acadepol trabalha com uma previsão de 350 vítimas no acidente.

As informações sobre o número de corpos identificados serão divulgadas pelo Governo de Minas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas