POLÍCIA Crimes de tráfico, homicídio e roubo são deflagrados na RMR

Publicado em: 30/01/2019 17:12 Atualizado em:

Delegado João Leonardo - Gestor da Divisão de Homicídios Metropolitana Norte e o delegado Nelson Souto - Diretor GCOE. Foto: Divulgação /Polícia Civil
Delegado João Leonardo - Gestor da Divisão de Homicídios Metropolitana Norte e o delegado Nelson Souto - Diretor GCOE. Foto: Divulgação /Polícia Civil
A Polícia Civil anunciou, nesta quarta (30), o resultado de três operações simultâneas deflagradas para combater crimes de tráfico, homicídio, roubo e tráfico ilegal de armas de fogo, no Recife e RMR. 

A primeira delas, Reincidência, tinha o objetivo de prender e desarticular grupo envolvido na prática de tráfico de entorpecentes e associação para o homicídio nas cidades de Olinda, Paulista e Recife. No percurso das investigações, que duraram um ano, foram 36 alvos presos. A segunda operação, Currus, objetivou desarticular o tráfico de entorpecentes e a associação para o e roubo de veículos, em Paulista e Recife. Foram realizadas, no total, cinco mandados de prisão preventiva/temporária. Já a Fratis com os mesmos objetivos da Reincidência, foi concluída com um total de nove presos. 

Quanto às apreensões, as três operações resultaram no recolhimento de 291 munições. Segundo o delegado João Leonardo, gestor da Divisão de Homicídios Metropolitana Norte, foram retiradas 44 armas de fogo de circulação, inclusive fuzis. “Não eram peças de colecionadores, mas, sim, pistolas 9 mm, calibres restritos, revólveres 38 e um rifle”, explica. Foram apreendidas, ainda, drogas como maconha e crack, além de carros, motos, celulares e simulacros.

Ainda segundo o delegado, a investigação maior, a Reincidência, começou há um ano, ocasião em que eram investigadas pessoas comandadas por Júnior Box, atuante no bairro de Santo Amaro e transferido, há aproximadamente, cinco meses, para penitência federal, em Roraima. “Meses depois, recebemos novas informações sobre seu braço direito, Ramon, conhecido como UR, então iniciamos a investigação. Já no início, descobrimos um triplo homicídio no bairro do Bonsucesso, em Olinda, onde um suspeito integrante da quadrilha do Ramon comandou a execução de três mulheres, uma delas grávida”, explica. A Operação Fratis, por sua vez, investigou uma quadrilha rival do UR, comandado por dois irmãos, e que atuava nas comunidades das Casinhas e bairros de Paratibe e Arthur Lundgren, em Paulista. “Na Operação Curros, que investigava sequestro e roubos de carros, identificamos um líder chamado Jean, ligado a um dos elementos da Reincidência, e, a partir dele  todos os demais seis integrantes. Jean foi assassinado no dia 1 de janeiro e ligava-se a eles para cometer assaltos a veículos, tráfico de entorpecentes e também sequestros relâmpagos”, concluiu.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas