CONECTA Recife ganha escola com foco na educação para o século 21

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 29/01/2019 18:35 Atualizado em: 29/01/2019 19:37

Escola Conecta surgiu da inquietação da psicopedagoga Sandra Janguiê. Foto: Peu Ricardo/DP.
Escola Conecta surgiu da inquietação da psicopedagoga Sandra Janguiê. Foto: Peu Ricardo/DP.
O novo milênio demanda escolas que sejam comunidades de aprendizagem personalizada, onde o professor deixa de ser a autoridade única do conhecimento e o protagonismo do processo educacional passa a ser também do estudante. Com mais de 20 anos de experiência em educação e incomodada com o modelo tradicional de ensino adotado nas escolas brasileiras, a psicopedagoga Sandra Janguiê decidiu mergulhar no tema e criar do zero uma escola adequada ao século 21. Fruto de dois anos de pesquisa e visitas a escolas consideradas modelo no Brasil e no mundo, a Escola Conecta foi desenhada por ela e por especialistas de diversas áreas para atender a essas novas necessidades dos tempos atuais.

Unidade de ensino funciona na Rua Benfica, bairro da Madalena. Foto: Peu Ricardo/DP.
Unidade de ensino funciona na Rua Benfica, bairro da Madalena. Foto: Peu Ricardo/DP.
Ainda são exceção no Brasil e no mundo unidades de ensino que podem ser consideradas modelo quando o assunto é educação no século 21. São escolas com projetos originais e criativos, que estimulam a autonomia dos estudantes, criam itinerários personalizados para eles, oferecem ambientes lúdicos e que estimulam a vontade de aprender, ensinando não apenas conteúdos, mas a lidar com as emoções. "Tive uma escola (Colégio BJ) por 22 anos. De um tempo para cá, estava incomodada com esse modelo tradicional de ensino. Enquanto os alunos estão no século 21, as escolas estão nos séculos passados. A ideia foi criar uma escola, como diz o slogan, de pensamento global e adequada à realidade dos alunos", afirma a psicopedagoga e diretora geral da Conecta.

Estudantes vão poder colocar em prática conhecimentos adquiridos em sala de aula. Na imagem, espaço de gastronomia. Foto: Peu Ricardo/DP.
Estudantes vão poder colocar em prática conhecimentos adquiridos em sala de aula. Na imagem, espaço de gastronomia. Foto: Peu Ricardo/DP.
Além das disciplinas obrigatórias comuns ao currículo nacional, a escola investe na personalização de itinerários de aprendizagem, oferecendo matérias eletivas, que o aluno pode escolher de acordo com as aptidões e gostos. Serão ofertadas disciplinas como design de games, robótica e teatro. "Uma dúvida frequente entre os pais é em relação a preparação dos alunos para o vestibular. As disciplinas tradicionais estão na grade e serão oferecidas aliadas a uma diversidade de componentes curriculares que garantem a formação integral do aluno", diz.

Empreendedorismo, meio ambiente e inteligências múltiplas são outras matérias que fazem parte do currículo da escola. A última será voltada para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais e leva em consideração que a escola é um espaço privilegiado para a aprendizagem dessas competências porque é nela que a criança, muitas vezes, começa a se relacionar com a diferença.

A sala Fórum permite que professores e estudantes participem de debates. Foto: Peu Ricardo/DP.
A sala Fórum permite que professores e estudantes participem de debates. Foto: Peu Ricardo/DP.
A arquitetura da escola foi planejada e executada também levando em consideração as características da escola. "O espaço físico está alinhado à proposta pedagógica", ressalta Sandra. São 7 mil metros quadrados com salas de aula, brinquedotecas, parques e jardins, laboratórios, sala fórum, espaço para artes, espaço gastronômico e salas de estudo. Na sala Fórum, com inspiração na arquitetura dos teatros de arena, haverá debates sobre temas relevantes à construção da cidadania. É também onde serão recebidos convidados e acontecerão dinâmicas de grupo.

Sala de leitura da Escola Conecta reúne obras variadas. Foto: Peu Ricardo/DP.
Sala de leitura da Escola Conecta reúne obras variadas. Foto: Peu Ricardo/DP.
No laboratório Maker, além de mobiliário especial, o aluno dispõe de impressora 3D, ferramentas, cortadeiras e uma diversidade de materiais para que possa executar projetos. Em todos os espaços, o professor vai orientar as turmas. "Ele tem um papel fundamental, pois é o orientador, quem ensina o aluno a ser crítico e a pensar. È o gestor da aprendizagem, mas não é mais aquela figura que aparece como único detentor do conhecimento", afirma a diretora.

Salas de aula favorecem metodologias ativas. Foto: Peu Ricardo/DP.
Salas de aula favorecem metodologias ativas. Foto: Peu Ricardo/DP.
As matrículas, da educação infantil ao ensino médio, estão abertas. Os pais ou responsáveis são recebidos para conhecerem as instalações sem a necessidade de agendamento prévio de horário. Na escola, podem receber ainda orientações detalhadas sobre a metodologia de ensino e a proposta pedagógica. As mensalidades podem ser consultadas na página oficial da escola na internet

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas