Investigação Polícia prende dois vistoriadores de veículos sob acusação de clonar e adulterar carros Os suspeitos foram flagrados durante o processo de adulteração, que acontecia em um galpão alugado onde funciona uma revenda de água mineral de fachada

Por: Mariana Fabrício - Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/07/2018 13:51 Atualizado em: 23/07/2018 14:00

Delegados Paulo Berenguer e Newson Motta falaram do caso para a imprensa nesta manhã. Foto: PCPE/Divulgação
Delegados Paulo Berenguer e Newson Motta falaram do caso para a imprensa nesta manhã. Foto: PCPE/Divulgação
Dois vistoriadores veiculares profissionais foram presos no bairro de Jardim Jordão, em Jaboatão dos Guararapes, por clonagem e adulteração de veículos, além de uso de documentos falsos. A ação ocorreu no último dia 19 e resultou na apreensão de 8 automóveis e 4 motocicletas, todos roubados em investidas recentes ocorridas na Região Metropolitana do Recife. Os detalhes da operação foram divulgados pela Polícia Civil na manhã desta segunda-feira (23), em coletiva de imprensa realizada no Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri).

Os suspeitos foram presos em flagrante durante o processo de adulteração, que acontecia em um galpão alugado onde funciona uma revenda de água mineral de fachada. De acordo com o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, Paulo Berenguer, se trata de uma "cadeia complexa", já que a prática criminosa possui várias fases que envolve outras pessoas, que ainda estão sob investigação. O processo ilícito começava quando outros envolvidos roubavam os veículos, enviavam para o processo de adulteração do número de chassi e logo depois emitiam documentos com os dados falsos. 

"Depois de 'esquentados', os carros eram colocados no mercado para revenda. Então iniciava com o roubador e terminava com o estelionatário", esclareceu Berenguer. O esquema envolvia mudança de sinais identificadores dos carros, como cor, vitrais e chassi, que servem como vestígios de segurança. Todos os carros tinham elevado valor de mercado e são considerados mais visados, como Ford Focus, Ecosport, Nissan Frontier e Fiat Strada, por exemplo, que foram alguns dos modelos apreendidos.

O que chama a atenção da Polícia nesse caso é que eram utilizadas cédulas verdadeiras emitidas pela Casa da Moeda para impressão dos documentos falsos. A investigação continua para descobrir de onde o papel é desviado. "Com o trabalho de investigação conseguimos descobrir que eles usavam a aptidão técnica de vistoriadores para clonagem. A falsificação era bem feita e só conseguimos detectar através do trabalho de vistoria e perícia. Algumas informações são sigilosas, mas as investigações continuam", comentou o delegado.

Os carros e as motos apreendidas pela Polícia Civil serão restituídos aos verdadeiros proprietários. O caso serve como um alerta para quem compra veículos de terceiros. "O consumidor final que compra o produto de boa fé está sendo lesado. No entanto, antes de transferir o recurso para compra do veículo é preciso procurar um vistoriador de confiança, o Detran ou a Delegacia de Roubos e Furtos para verificar se o veículo está regular e lícito", aconselha Berenguer. Se ficar comprovado que o comprador tinha conhecimento que o veículo foi adulterado, poderá responder por receptação dolosa por estar comprando um produto furtado ou roubado.

Durante os interrogatórios os dois permaneceram em silêncio e foram soltos durante a audiência de custódia sem pagamento de fiança. Eles são profissionais autônomos prestavam serviço para seguradoras de veículos e não tinham passagens pela polícia.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas