VIOLÊNCIA Bala de alto calibre foi responsável pela morte de pernambucana na Nicarágua Em entrevista a jornal nicaraguense, fonte médica afirmou que perfuração de mais de 15 centímetros no tórax de brasileira não seria de 'uma bala qualquer'

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 25/07/2018 09:17 Atualizado em:

Foto: Facebook / Reprodução
Foto: Facebook / Reprodução
Os mistérios e contradições em torno da morte da médica pernambucana Raynéia Gabrielle Lima, de 31 anos, assassinada na cidade de Manágua na última segunda-feira (23), ganham mais um contorno após médicos afirmarem que uma bala de alto calibre foi responsável pela morte da brasileira. Após ter o carro alvejado por tiros, Raynéia foi encaminhada pelo noivo, que estava em outro veículo, ao hospital militar da região. "Ela chegou quase sem os sinais vitais, com uma hemorragia enorme. Fizeram uma transfusão de sangue e a levaram à sala de cirurgia. Ali, foi possível notar uma bala que atravessou o fígado e o tórax. Era uma bala de alto calibre, porque a perfuração causada por ela no tórax era de 15 centímetros e isso não é feito por uma bala qualquer", disse uma fonte médica, que não quis ser identificada por medo de represálias, ao jornal El Nuevo Diario.

O dano causado pelo projétil, somado aos relatos de moradores da região, que escutaram rajadas de tiros no momento em que a brasileira foi atingida, servem de questionamento ao informe liberado pela Polícia Nacional, relatando que "um guarda da vigilância privada, em circunstâncias ainda não determinadas, realizou disparos de arma de fogo, um dos quais a atingiu, provocando feridas".

"Um guarda de segurança privada, que conta apenas com uma pistola, não tem capacidade de fazer tantos disparos", afirmou outra fonte, moradora da região, que também preferiu anonimato, ao jornal. Ainda segundo a publicação, policiais chegaram ao hospital militar para o qual Raynéia foi encaminhada poucas horas após o ocorrido em busca do noivo dela para "reconstituir a cena", mas, como o rapaz estava em estado de choque, ele não foi liberado. 
 
* Com informações do jornal El Nuevo Diario 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas