Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 11/DEZ/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Power34 Recife » Quando os atletas se transformam em turistas Competições esportivas fazem bem também a setores econômicos

Sávio Gabriel - Diario de Pernambuco

Publicação: 21/09/2017 20:53 Atualização:

Foto: Shilton Araújo/Esp. DP.
Foto: Shilton Araújo/Esp. DP.

O servidor público Pedro Rodrigues tornou-se triatleta há três anos. Desde então, tem participado de competições em diversos estados. Mesmo com toda a dedicação e disciplina típicas de um esportista, em cada uma das viagens sempre há espaço na agenda para conhecer a infraestrutura turística das cidades: bares, restaurantes e visitas a centros comerciais sempre estão no roteiro. O pernambucano é um exemplo de como a realização de eventos esportivos tem impacto direto na economia dos municípios.

Entre as competições das quais Pedro participou estão o Campeonato Brasileiro de Triatlo de Longa Distância, realizado no ano passado em Fortaleza, o Campeonato Brasileiro de Triatlo Olímpico, ocorrido em João Pessoa, em 2015, e o Campeonato Brasileiro de Sprint Triatlo, em Vila Velha (ES). “Como as competições geralmente acontecem aos domingos, eu sempre me programo para chegar um pouco antes e aproveitar a cidade. Após os eventos, dá para curtir um pouco também”, diz.

Com uma estadia média de quatro dias nas cidades, Pedro ajuda a injetar dinheiro no trade turístico por onde passa. Ele e a esposa gostaram tanto da estrutura oferecida em Fortaleza que acabaram retornando à cidade, dessa vez a passeio. “Com certeza, o fato de ter ido antes ajudou a colocá-la no nosso roteiro de viagens. Eu nunca tinha conhecido a cidade e adorei. Na segunda viagem, consegui aproveitar mais e conhecer lugares que eu não tive a oportunidade de ir quando fui competir”, explica. E, se depender da esposa, um terceiro retorno à capital cearense deve acontecer em breve. “Ela sempre pergunta se há competições por lá, para que possamos aliar a parte esportiva ao turismo”.

A infraestrutura hoteleira e a diversidade de atividades para os turistas foram alguns dos pontos positivos elencados pelo atleta. Baseado no que viu, ele não tem dúvidas com relação ao potencial da capital pernambucana. “Recife é muito bem preparado para receber o turista. Nesse aspecto, estamos no nível de outras cidades. Acredito que possamos explorar mais esse potencial dos grandes eventos esportivos. Fortaleza, nesse aspecto, já tem uma grande bagagem”, compara.

Aos poucos, o Recife passa a entrar na rota de grandes eventos esportivos. O Power 34 Recife, que acontecerá pela primeira vez na capital pernambucana, reunirá grupos de atletas vindos de diversas regiões do Nordeste e do restante do país.

O técnico esportivo Kenned Mitomari, do Peaks Couching Group, em Maceió, está à frente de um desses. Acostumados a competir em outras cidades e países, os integrantes do grupo, formado por cerca de 15 pessoas, deixarão a capital alagoana para passar o fim de semana em Pernambuco. Para alguns, a estadia será um pouco mais prolongada. “Chegaremos no sábado e voltaremos no domingo. Mas tem pessoas que vão a Porto de Galinhas para aproveitar mais”, diz.

E mesmo os que ficarão apenas no Recife não vão participar exclusivamente da competição: a visita a restaurantes após o término do evento já está no roteiro. Alguns atletas devem chegar ao Recife com as respectivas famílias, fator que contribui ainda para o impacto positivo no mercado local. Nessa correlação entre esportes e turismo, todos saem ganhando.

Números
400 atletas é a quantidade estimada de participantes do Power 34 Recife
100 esportistas são de outros estados e devem vir ao Recife com suas respectivas famílias
R$ 4,3 mil é o valor médio que cada atleta de fora deve gastar durante o fim de semana do evento, incluindo passagens aéreas (esportistas que chegam ao Recife vindos de outros estados do Nordeste)
R$ 6 mil é o valor médio que cada atleta de fora deve gastar durante o fim de semana do evento, incluindo passagens aéreas (esportistas que chegam ao Recife vindos do Sul e Sudeste)
R$ 500 mil é o total injetado na economia do Recife apenas pelos atletas que vêm de fora
R$ 1 milhão é o total que o Power 34 Recife deve injetar na economia durante dois dias

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]