Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 26/JUL/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ásia » Tailândia oferece aventuras para todos os estilos Na segunda e última reportagem sobre o reino do Oriente, confira roteiros históricos e naturais a poucas horas de Bangcoc

Diogo Carvalho

Publicação: 05/06/2017 14:15 Atualização: 05/06/2017 14:22

Assim como a Lagoa Azul (em Jaboatão dos Guararapes), o Grand Canyon de Chiang Mai é procurado para que quer tomar um solzinho ou praticar esportes radicais. Fotos: Diogo Carvalho/DP e AmazingThailand.com
Assim como a Lagoa Azul (em Jaboatão dos Guararapes), o Grand Canyon de Chiang Mai é procurado para que quer tomar um solzinho ou praticar esportes radicais. Fotos: Diogo Carvalho/DP e AmazingThailand.com


Bangcoc - Destino número um dos mochileiros, a Tailândia oferece preços em conta para os turistas que desejam desbravar os quatro cantos do país. O trajeto de Bangcoc para Chiang Mai, por exemplo, pode ser feito em 1h15 de avião (a partir de R$ 100) ou 12h em trem noturno (R$ 75), e hospedagem fica entre R$ 20 (albergues) e R$ 100 (hotéis).

 
Capital religiosa da Tailândia, a antiga Chiang Mai recebeu um fosso e uma muralha ao redor, e parte do muro e portões ainda está de pé. É lá que estão restaurantes (refeições por R$ 10), casas de massagem (tente o “spa dos peixes” por R$ 15) e templos. Os mais interessantes são o Wat Phra Singh, o Wat Chiang Man (de 1296) e o Wat Chedi Luang, onde monges em robes laranjas treinam o inglês em bate-papos com turistas.

Alugue uma scooter por R$ 25 e suba a montanha para conhecer o Templo Dourado e o Palácio de Verão. Não esqueça de cobrir os joelhos e ombros nas visitas, em sinal de respeito. No Bazar Noturno, encontre os produtos mais baratos do país e a típica culinária isan, de sabores mais picantes (experimente a Papaya salad).


A lagoa azul do norte da Tailândia 
Assim como o ponto turístico de Jaboatão, o Grand Canyon a 22km do centro de Chiang Mai é paraíso para esportes radicais ou para conferir um belo pôr-do-sol. Para chegar, vá de scooter.

Não caia naqueles programas de turistas com animais no Centro ou Sul do país. Se quer contato com os elefantes, procure as fazendas próximas a Chiang Mai
Não caia naqueles programas de turistas com animais no Centro ou Sul do país. Se quer contato com os elefantes, procure as fazendas próximas a Chiang Mai


Animais
Evite os shows de elefantes no Sul e em Bangcoc (que maltratam os animais) e procure conhecer os bichões símbolos do país em seu habitat natural, em meio às rotas de aventuras (rapel, rafting) proporcionadas por agências locais.

Céu e inferno pintados de branco
Principal atração de Chiang Rai (a 800km de Bangcoc), o Templo Branco só será concluído em 2070. Obra é famosa pelas estátuas bizarras no jardim, como a do Batman e do monstro Predador. 

Dá para ficar mais relaxado ainda
Pegue uma van (R$ 14) no centro de Chiang Mai e, depois de três horas, chegará a Pai, um pacato distrito com muçulmanos (espere comidas mais diferentes) conhecido  pelas trilhas e cachoeiras.

Incrível tribo das mulheres girafas
Fugindo da guerra civil em Mianmar, há 40 anos esse povo mora em uma comunidade sustentada pelos campos de arroz e artesanato. Cada argola, símbolo de beleza, é colocada a cada 5 anos.

Primeira capital da Tailândia, Ayutthaya é perfeita para um 'bate-volta' saindo de Bangcoc
Primeira capital da Tailândia, Ayutthaya é perfeita para um 'bate-volta' saindo de Bangcoc


Calmaria bem ao lado de Bangcoc

Os destinos desta região central do país são perfeitos para quem quiser fazer bate-voltas a partir de Bangcoc, de trem, ônibus ou vans. Existem agências na Khao Sand Road, rua dos mochileiros, que fazem tours diários a partir de R$ 60 (com transporte e alimentação inclusos). A visita a Ayutthaya - primeira capital da Tailândia, fundada em 1350, a 80km de Bangcoc - é obrigatória e alguns turistas a fazem quando estão a caminho de Chiang Mai. Como a temperatura média beira os 45 graus e os templos e ruínas ficam muito distantes uns dos outros, é recomendável fazer o trajeto mesmo de van. Evite se aventurar de bicicleta ou tuk tuks.   


Rota de ruínas da primeira capital
Destruída pela Birmânia em 1767, Ayutthaya tem o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco. As cabeças de estátuas de Buda foram roubadas. Uma dela foi até parar dentro de uma árvore. Confira o templo que serviu de cenário para o game Street Fighter II. 

Trilha natural de águas cristalinas
É no Parque de Erawan que estão localizadas as sete cachoeiras mais famosas do país, numa trilha de pouco mais de 3km. Se for nadar, cuidado com as mordidas dos peixes! Partindo de Bangcoc, passeios custam R$ 100.

Triste memória esculpida em ferro
É em Kanchanaburi que fica a famosa Ponte do Rio Kwai, construída durante a Segunda Guerra para interligar a ferrovia entre a Birmânia e a Tailândia, cuja construção causou a morte de 256 mil pessoas. Há um memorial na cidade para elas.

Jardins Suan Nong Nooch, em Pattaya, contam com as maiores diversidades de algumas espécies de plantas no mundo
Jardins Suan Nong Nooch, em Pattaya, contam com as maiores diversidades de algumas espécies de plantas no mundo


Jardim botânico de animais gigantes
Visitar o jardim botânico Suan Nong Nooch, em Pattaya, é ir para um mundo paralelo, com estátuas gigantes de animais, coleções de carros, templos e a maior variedade de palmeiras e cicadáceas do mundo.

Quatro religiões num único templo
Esculpido todo em madeira, o Santuário da Verdade (em Pattaya) tem 105 metros e deve ser finalizado em 2025. Os pavilhões representam crenças da Tailândia, Índia, China e Camboja.

Praia de Ao Nang: Krabi é uma das portas de entrada para que busca visitar as mais de 130 ilhas do Sul da Tailândia
Praia de Ao Nang: Krabi é uma das portas de entrada para que busca visitar as mais de 130 ilhas do Sul da Tailândia


Paraíso reerguido após o tsunami

Depois de um voo de uma hora a partir de Bangcoc, é possível chegar à região mais turística do país. Quem confere a exuberância das praias e ilhas do Sul quase não consegue imaginar que num passado recente toda essa beleza havia sido destruída pelo tsunami originado por um terremoto de magnitude 9,1 no Índico, em dezembro de 2004, que deixou mais de 230 mil mortos. Evite se hospedar em Krabi ou Phuket (de onde vêm os voos de Bangcoc e, por serem maiores, são mais caras e mais difíceis de se deslocar). Pegue um ferry (R$ 20) direto para Phi Phi (se fala ‘Pi Pi’) e arrume uma cama num albergue ou pousada por menos de R$ 30. De lá, você pode agendar passeios por boa parte das 130 ilhas da região. 

A noite mais louca do Oriente
A noite em Pattong, na ilha de Phuket, é a mais famosa do país. Bares de go go girls dividem ruas com boates para shows de artistas trans. É lá que fica a maior casa de massagem sexual da Ásia. 

Cuidado para não se queimar
Se for a Phi Phi, não deixe de conferir o espetáculo de fogo gratuito na areia da praia, em frente aos bares e boates. Os turistas que participam da brincadeira ganham drinques gratuitos.

Melhor vista do famoso balneário 
Uma trilha de meia hora leva a um dos pontos mais altos da Ilha Phi Phi para conferir o pôr-do-sol. No caminho, cuidado com as gangues de macacos sempre em busca de comida. São violentas!

Ilhas Phi Phi são o melhor destino para que busca preços mais em conta e muitas festas à noite
Ilhas Phi Phi são o melhor destino para que busca preços mais em conta e muitas festas à noite

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]