Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 23/MAR/2017
 
cheia

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Mundo » Uma viagem incrível no maior navio do mundo O gigante Harmony of the Seas ancorou na Flórida no mês passado para inaugurar sua primeira temporada no Mar do Caribe

Correio Braziliense

Publicação: 12/01/2017 11:02 Atualização: 12/01/2017 11:12

Foto: Guilherme Paranaíba
Foto: Guilherme Paranaíba

Esqueça aquela ideia de que cruzeiro é um programa só para pessoas mais velhas, com uma programação nem tão diversificada e vida noturna pouco atrativa. A junção de cultura, esporte, lazer e gastronomia, com opções entre o que há de melhor no mundo para crianças, jovens e adultos, está no Harmony of the Seas, que, no mês passado, chegou na Flórida e realiza sua primeira temporada pelos mares do Caribe.

Depois de passar cinco meses fazendo sua estreia na Europa, o Harmony, lançamento da Royal Caribbean, agora está mais próximo dos brasileiros e muito perto dos mineiros, em especial. Mais precisamente, a 7h40min de avião e mais 40min de carro até o porto de Everglades, em Fort Lauderdale, no estado americano da Flórida. Esse é o tempo para percorrer a distância entre Belo Horizonte e o ponto de partida das viagens caribenhas do Harmony, incluindo um voo direto da capital mineira até Miami e um transporte terrestre entre a cidade das compras e o porto onde o gigante de 340 metros de comprimento, que é maior do que a Torre Eiffel, inicia suas viagens de sete noites pelo Caribe.

Prepare-se para tomar um susto logo na chegada ao navio. A impressão é de que você está entrando em um shopping. A grandiosidade de tudo ao seu redor vai te fazer pensar que não é possível viabilizar uma obra desse porte, mas basta andar pelos corredores de cada um dos 18 deques para perceber que tudo é muito real. As cabines internas da embarcação, que não têm vista para o mar, custam a R$ 2,5 mil por pessoa para sete noites, com saídas este mês. O valor não inclui a passagem aérea e nem bebidas alcoólicas.

O Harmony of the Seas é tão grande que, mesmo com cerca de 7 mil pessoas a bordo, além dos 2 mil tripulantes e funcionários, você ainda pode ter a impressão de que não está lotado. Para que os passageiros tenham essa sensação, o navio foi construído considerando o conceito de bairros. Na Royal Promenade, por exemplo, estão os bares e o agito noturno. Já no Central Park estão restaurantes renomados no mundo, como o Jamie's Italian, do chefe Jamie Oliver, e o 150 Central Park. A zona de esportes concentra piscinas para banho e também estruturas com jatos de água para os turistas surfarem em um ambiente artificial. ''Esse conceito de vizinhança divide o público por tipo e faz com que o fluxo de pessoas seja bem tranquilo. Esse barco foi feito para que as pessoas vivam a experiência'', diz Ricardo Amaral, diretor da R11 Travel, empresa que distribui os cruzeiros da Royal Caribbean no Brasil.

Vivenciar a experiência do navio Harmony of the Seas, a maior embarcação de cruzeiros do mundo, é aproveitar, prioritariamente, as opções que ele oferece para a noite. Seja de uma forma mais tranquila, curtindo um bom espetáculo teatral, comendo em um bom restaurante, passando por um happy-hour com um drinque ou ainda esticando a madrugada pulando de bar em bar até terminar em uma boate. Essas opções tornam o mais novo gigante da Royal Caribbean atrativo tanto para jovens quanto para os mais velhos.

Os 20 restaurantes estão espalhados por toda a área do navio, mas os mais badalados, como o 150 Central Park e o Jamie's Italian, do chef Jamie Oliver, não estão inclusos no preço do pacote. E eles também necessitam de reserva. Mesmo se você não quiser gastar um pouco mais para aumentar suas experiências culinárias, vale a pena dar um passeio no Central Park, uma das sete vizinhanças do navio, que é destinada apenas para restaurantes.

Os espetáculos culturais se dividem nos dois teatros, um em cada ponta da embarcação, e também no Studio B, onde fica a patinação no gelo. Bem perto dali está a Royal Promenade, bairro onde se concentram os bares. Esse foi um dos pontos que mais agradaram à moradora de Belo Horizonte Vilma Ziderich Silva, dona da agência de turismo Ziderich, que comercializa cruzeiros da Royal Caribbean. Ela se encantou com um dos principais atrativos da Royal Promenade, o Bionic Bar. Basta você escolher qual drinque quer beber no computador e dois robôs dão conta de todo o preparo. ''Achei aquilo maravilhoso. É até difícil falar porque são tantas coisas que me deixaram impressionada'', afirma Vilma, que esteve na viagem inaugural do Harmony pelo Mar do Caribe, em novembro, com a filha Bruna Silva.

''As pessoas de Belo Horizonte estão buscando informações e já querem saber tudo sobre esse navio. O Harmony tem um ótimo custo/benefício, considerando tudo o que oferece, e é uma grande oportunidade de quebrar o paradigma de que cruzeiro é um programa para pessoas mais velhas. Ele é totalmente moderno, com toda a qualidade para os jovens, crianças e também para a terceira idade'', afirma.

Brasileiros

Uma das coisas mais comuns no Harmony of the Seas é andar pelos corredores do navio e encontrar algum funcionário da embarcação, já que são mais de 2 mil tripulantes. Nesse momento, uma situação que se destaca é a atenção dos trabalhadores que colocam bares, restaurantes, quartos e toda a estrutura do gigante de cruzeiros para funcionar. Sempre prestativos, não importa a nacionalidade para atender os turistas da melhor forma possível.

E nesse quesito os brasileiros se destacam, como a paranaense Veridiane Valório dos Anjos, de 21 anos, que já está trabalhando para a Royal Caribbean há quase um ano, sendo três meses no Harmony. Ela pegou parte da temporada europeia e representa o Brasil junto com outros cerca de 70 funcionários tupiniquins. ''A gente tem a orientação logo na entrevista de que precisamos ser bastante atenciosos com os turistas'', diz ela. O serviço está longe de ser tranquilo, pois a movimentação é tão intensa que exige muita dedicação para dar conta de deixar tudo arrumado e organizado. ''Gosto bastante, pois o dinheiro é bom e aproveito para conhecer o mundo. Também temos a possibilidade de usufruir do navio nos períodos de descanso'', afirma.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]