• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Rio 2016 » Um roteiro pelos países de adversários dos brasileiros nos Jogos Olímpicos O Brasil tem chance de conquistar medalhas de ouro em várias modalidades, mas precisará enfrentar atletas de peso.

Iana Caramori - Especial para o Correio - Correio Braziliense

Publicação: 02/08/2016 10:12 Atualização: 01/08/2016 15:35

Templo de São Sava é um dos pontos turísticos em Belgrado, Sérvia. Foto: Ultra Panavision/Flickr
Templo de São Sava é um dos pontos turísticos em Belgrado, Sérvia. Foto: Ultra Panavision/Flickr

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro começam em 4 de agosto e prometem muitas emoções. Mais de 40 modalidades serão disputadas em 306 provas. Durante os 19 dias de competição, 136 medalhas serão entregues para as mulheres, 161 para os homens e nove para os que subirem ao pódio em jogos mistos.

Em muitos esportes, as chances de o Brasil levar medalhas de ouro são grandes. Mas, antes, os brasileiros precisarão passar por atletas de peso de vários países. Conheça alguns nomes que darão trabalho nas Olimpíadas e um pouco sobre os países de onde vieram. Siga a trilha desses campeões e prepare-se para se encantar com alguns localidades.

Belgrado, Sérvia
Um dos principais nomes do tênis é o sérvio Novak Djokovic, primeiro no ranking mundial. Nole, como é conhecido entre os fãs, nasceu na capital, Belgrado. Quem viaja à cidade do atleta precisa conferir o Museu e o Teatro Nacional, o monumento Prince Mihailo e a Republic Square. Outros passeios imperdíveis são o Templo de São Sava, uma das maiores igrejas do mundo; a Ilha Ada Ciganlija; e o Forte de Belgrado. A capital sérvia possui um aplicativo para smartphone, o Belgrade Talking. Aponte para um monumento com a tela do app aberta e descubra a história do local. O programa, que funciona sem internet, também localiza os pontos turísticos mais próximos.

Baltimore, Estados Unidos
Foto: Phenix/Flickr
Foto: Phenix/Flickr

A maior cidade do estado de Maryland é uma ótima parada entre um destino e outro, já que suas atrações não demandam muito tempo. Quem visita a cidade do nadador Michael Phelps, uma das principais apostas da delegação norte-americana, pode incluir no roteiro o Museu de Arte Walters, a revitalizada área portuária Baltimore Inner Harbor e a movimentada Power Plant Live, região cheia de bares, restaurantes e casas de show. As crianças também têm passeios garantidos, como o Aquário Nacional e o Port Discovery, um museu cheio de atividades para os pequenos.

Bergen, Noruega
Foto: Anthony McEvoy/Flickr
Foto: Anthony McEvoy/Flickr

As atuais campeãs olímpicas do handebol são da Noruega, um país cheio de cidades interessantes de se visitar. Uma delas é Bergen, no oeste do país. Comece dando uma volta em Bryggen, antigo centro comercial onde as casas são consideradas patrimônio cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura  (Unesco). Siga para o KODE, o museu de arte de Bergen, e termine o dia no Monte Fløyen, acompanhando o pôr do sol de um dos pontos mais altos da cidade.

Gelsenkirchen, Alemanha
Foto: Uwe Rudowitz/Reprodução
Foto: Uwe Rudowitz/Reprodução

A cidade natal do goleiro alemão Manuel Neuer é ideal para quem gosta de apreciar a arquitetura de monumentos históricos. A região é cheia de lindos castelos, como o Lüttinghof, o Horst e o Schloss Berge. Parques temáticos, jardins, teatros e centros culturais também são boas atrações para o turista.

Madri, Espanha
Foto: Dani Leprechaun/Flickr
Foto: Dani Leprechaun/Flickr

Ao contrário de Baltimore, a cidade espanhola precisa de um pouco mais de tempo para ser explorada. Os mercados San Anton e San Miguel merecem a visita, assim como a famosa Plaza Mayor, o Palácio Real, os Jardins de Sabatine e a Plaza de España. Os fãs de futebol podem fazer o tour de duas horas pelo estádio Santiago Bernabeu, propriedade do Real Madri. O time de basquetebol masculino da Espanha é um forte concorrente do Brasil. Os dois times se enfrentam logo na primeira fase.

Kitakyushu, Japão
Foto: Gururiche Kitaq/Reprodução
Foto: Gururiche Kitaq/Reprodução

As chances de o Brasil faturar algumas medalhas na ginástica são muitas, mas primeiro os atletas brasileiros precisarão enfrentar concorrentes como o japônes Kohei Uchimura. Na cidade natal do ginasta, é possível visitar jardins botânicos, parques de diversão, galerias de arte, castelos e museus. As principais atrações turísticas estão espalhadas pelos quatro cantos da cidade: Mojiko, Kokura, Wakamatsu e Tobata, e Yahata.

Sydney, Austrália
Foto: Nguyn NGC/Flickr
Foto: Nguyn NGC/Flickr

Na vela, os brasileiros terão um forte adversário: Tom Burton, que nasceu em Sydney. Sua cidade natal tem vários atrativos gratuitos que ajudam o turista a economizar um pouco na hora de montar o roteiro. O Royal Botanic Garden, no centro, abriga diversos restaurantes, cafés e jardins. Do outro lado da rua, o Parque The Domain tem vários outros atrativos como a Galeria de Arte de New South Wales e o Mrs Macquaries Point, onde se tem uma das mais belas vistas da Opera House de Sydney.

Moscou, Rússia
Foto: Iwillbehomesoon/Wikipedia
Foto: Iwillbehomesoon/Wikipedia

A Catedral de São Basílio é cartão-postal da capital russa, que é cheia de atrações turísticas. O Kremlin é um delas. A fortaleza, que ocupa 30 hectares, serve de sede para o governo da Rússia e possui vários monumentos em seu interior. A Armeria é um museu inaugurado em 1951, que tem em seu acervo tesouros dos czares, carruagens, tronos e armamentos de soldados russos. Não deixe de visitar o Teatro Bolshoi, criado para receber espetáculos de ópera e balé. A seleção russa de voleibol, tanto masculina e feminina, vem ao Brasil com sede de vitória. Os dois times são adversários de peso dos brasileiros.

As belezas do Caribe

Alguns atletas cresceram em países de belos cenários. Conheça as nações do judoca Teddy Rinner e da velocista Shelly-Ann Fraser-Pryce:

Guadalupe
Foto: Monde du Voyage/Reprodução
Foto: Monde du Voyage/Reprodução

A Ilha de Guadalupe – onde nasceu o judoca francês Teddy Rinner, último ganhador do ouro olímpico em sua categoria –  faz parte de um departamento ultramarino da França. O mais interessante de se fazer por lá são os passeios em praias paradisíacas, cachoeiras e as trilhas em Pointe-à-Pitre, cidade natal do atleta, e Les Saintes, por exemplo.

Jamaica
Foto: Viajar pelo Mundo/Reprodução
Foto: Viajar pelo Mundo/Reprodução

As belezas naturais do país de Fraser-Pryce, que pode ser a primeira mulher a ser tricampeã olímpica dos 100 metros rasos, são de tirar o fôlego até da atleta, considerada a quarta mulher mais rápida da história do esporte. Ocho Rios é uma das paradas obrigatórias na Jamaica. Além de ser uma cidade tranquila, ao seu redor estão algumas das principais atrações como a cachoreia Dun’s River, a praia Frenchman’s Cove e o vilarejo Nine Mile, onde nasceu Bob Marley.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas