• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

STOP-OVER » Serviço permite que passageiro passe 24 horas entre um voo e outro Algumas companhias aéreas oferecem a opção. Saiba como contratar o serviço

Igor Galo - Especial para o Correio Braziliense

Publicação: 29/06/2016 09:35 Atualização: 28/06/2016 13:57

Arte: Alexandre Coelho/EM/D.A. Press
Arte: Alexandre Coelho/EM/D.A. Press
 

Quem viaja com frequência sabe: voos com escala geralmente são mais baratos, embora mais demorados. Mas algumas companhias aéreas oferecem o stop-over, um sistema pelo qual o passageiro pode passar mais de 24 horas em alguma das escalas. Para descobrir se o seu voo oferece essa possibilidade, é preciso consultar uma agência de viagens, que consegue a informação junto às empresas e solicita o serviço. É possível que seja cobrada uma taxa extra. Mas o certo é que, nesse caso, vale a pena pagar a comissão à tradicional agência de viagem.

Os que preferem fazer a compra on-line podem entrar no site http://matrix.itasoftware.com/ para descobrir se o voo tem a opção stop-over entre a partida e o destino final. Uma vez selecionado o voo, clique em fare rule e o site abrirá uma janela com a informação completa sobre o bilhete e a tarifa paga — se permite mudanças, limitações etc. Um dos itens é a informação sobre o stop-over.

Com o voo definido, o próximo passo é entrar em contato com a companhia aérea e solicitar o desmembramento do tíquete. É importante lembrar de marcar o segundo bilhete — este, para o destino final. Algumas companhias não permitem o serviço e propõem a divisão do bilhete, embora, em alguns casos, o valor total fique mais dispendioso.

A Turkish Airlines, por exemplo, permite o desembarque em Istambul sem custos para os viajantes que fazem escala na cidade. O mesmo faz a Emirates no seu hub Dubai, a Qatar Airways em Doha e a Icelandair  — que, nos voos entre a Europa e os Estados Unidos, permite parar em Reiquiavique. Do Brasil para qualquer país da Europa, pela TAP, é possível fazer uma parada em Lisboa durante um máximo de 72 horas — sem custos em voos intercontinentais. A companhia portuguesa oferece até promoções de estadias grátis em hotéis.

Ponto de encontro
Na linguagem aeronáutica, o que se convencionou chamar hub é um local onde se concentram as conexões de uma companhia de aviação. É, basicamente, a disponibilidade. Empresas como a Latam e a Gol têm seus hubs em São Paulo. Essa  fórmula, embora complexa, permitiu o desenvolvimento e crescimento de várias aviações. Para o bom funcionamento dessa engenharia, é preciso que todo o pessoal de terra e de bordo seja extremamente pontual, para que ao sistema flua e dê aos passageiros várias opções de voos sincronizados.

Também a Royal Jordanian oferece stop-overs grátis em Aman. A Singapore Airlines não só os oferece como faz ativamente promoções na sua cidade base. Caso o cliente deseje, a empresa oferece pacotes para essa cidade-estado, com hotel incluído, a partir de 64 euros. Essas opções costumam ser oferecidas pelas companhias especializadas em ligar destinos por meio de sua hub principal e, além disso, contam com o apoio das cidades onde fazem escala para que os viajantes não passem apenas pelo aeroporto, mas deixem também divisas no país.

As companhias aéreas europeias e latino-americanas não costumam ser tão generosas. A Iberia e a Lufthansa não permitem pradas intermediárias. A British Airways permite apenas em Londres e só em alguns voos e tarifas. Só a Finnair, que une Miami a à Ásia, oferece essa opção de forma gratuita. Uma boa opção para conhecer Helsinque. A Air France e a KLM também oferecem essa opção de forma gratuita em Paris e Amesterdã. E a parceira da aliança Skyteam, a Delta permite passar uma noite em Atlanta quando se voa da América Latina para a Europa. Nos voos entre a América Latina e a Europa, a American Airlines também costuma oferecer, quase sempre, “stop-over” gratuito em Miami. Sempre é interessante verificar no site.

Na América Latina, a Avianca na sua estratégia de captar tráfego de toda a região para a Europa e os Estados Unidos, e de tornar Bogotá num hub regional, oferece até dois stop-overs gratuitos, para quem deseja viajar do seu país para Paris ou Madri, e passar 48 horas em Bogotá com o mesmo bilhete.

Fique atento
» Para evitar problemas com agendamento de voos, calcule o total de dias que deseja viajar antes de solicitar o stop-over.
» Verifique se o país onde será feita a escala exige visto de entrada.
» Confirme, no site, se o stop-over é permitido, e o custo, e confirme com a companhia aérea
» Caso o tempo de visita seja apenas de um dia, evite carregar malas para longe. Procure um dos hotéis que ficam próximos dos aeroportos. Eles costumam ser mais baratos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas