• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Viaje até a cidade maravilhosa e se divirta sem mexer muito no bolso O turista pode conhecer mais sobre a capital carioca com pouco dinheiro. A cidade oferece atrações gratuitas para todos os gostos

Correio Braziliense

Publicação: 30/03/2016 09:48 Atualização: 30/03/2016 09:52

A Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro tem mais de nove milhões de títulos em seu acervo. Foto: Wikipedia/Reprodução
A Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro tem mais de nove milhões de títulos em seu acervo. Foto: Wikipedia/Reprodução
 

O Rio de Janeiro é um dos destinos considerados queridinhos dos turistas brasileiros e estrangeiros. No ranking da consultoria Euromonitor International, a capital carioca está entre as 100 cidades mais visitadas do mundo, no 80º lugar. A cidade maravilhosa pode ganhar ainda mais posições com a chegada dos Jogos Olímpicos este ano.

As opções de lazer vão de trilhas ecológicas a casas noturnas badaladas. Não tem como para ficar parado. Com tanta coisa para visitar, pode ser difícil controlar os gastos. Mas é possível se divertir sem desembolsar muito. O Turismo reuniu algumas opções gratuitas para animar o começo de semana na capital carioca.

DIA 1

Paço Imperial

Foto: Silas Scalione/EM/D.A. Press
Foto: Silas Scalione/EM/D.A. Press

O Paço Imperial funciona em um prédio histórico no Centro do Rio de Janeiro. O museu trata da história e da cultura cariocas. Era no Paço Imperial que ocorria a tradicional cerimônia do Beija-mão do Rei D. João VI, aclamado soberano no mesmo local. A entrada no museu é gratuita. Fica na Praça XV de Novembro 48, no Centro.
Informações: http://www.pacoimperial.com.br/

Biblioteca Nacional
O acervo da Biblioteca Nacional começou a ser montado a partir das obras de D. José I e hoje possui aproximadamente nove milhões de títulos. Por sua importância, é considerada pela Unesco uma das principais bibliotecas do mundo. Os turistas interessados em conhecer o prédio podem participar de visitas guidadas de segunda a sexta-feira. O passeio pode ser feito em três horários —11h e 15h, em português, e 13h, em inglês — e é gratuito. A biblioteca fica na Avenida Rio Branco, 219, no Centro.
Informações: https://www.bn.br/
 
Roda de samba na Pedra do Sal
Foto: Youtube/Reprodução
Foto: Youtube/Reprodução

Quem considera segunda-feira um dia desanimado não conhece a roda de samba da Pedra do Sal. Às 19h, os músicos começam a celebrar a tradição do local por meio da música. Eles se reúnem aos pés do Morro da Conceição e se revezam no instrumento, animando quem passa ali com o samba de raiz. É só chegar e curtir a música. Fica na Rua Argemiro Bulcão 1, na Saúde.

DIA 2

Museu do Amanhã

Foto: Flickr/Reprodução
Foto: Flickr/Reprodução

Inaugurado no fim de 2015, o museu tem zonas interativas, sala de cinema 360 graus e salões de exposição e um restaurante com vista panorâmica. A arquitetura do museu é uma atração à parte. Inspirada nas bromélias do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, a obra foi assinada pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Às terças-feiras, a entrada ao museu é gratuita. Fica na Praça Mauá 1, no Centro.
Informações: http://www.museudoamanha.org.br/
 
Casa do Pontal
Foto: Juliana Borre/CB/D.A. Press
Foto: Juliana Borre/CB/D.A. Press

O acervo foi organizado pelo designer francês Jacques Van de Beuque, que iniciou a coleção após se refugiar no Brasil, incentivado pelo amigo Candido Portinari. São mais de oito mil peças de 300 artistas brasileiros. Construído em um sítio no Recreio dos Bandeirantes, o museu tem amplos jardins que se misturam com as galerias. A entrada é gratuita às terças-feiras. Fica na Estrada do Pontal 3.295, no Recreio dos Bandeirantes.
Informações: http://www.museucasadopontal.com.br/
 
Parque Chico Mendes

Localizado em uma área de proteção ambiental, o Parque  é um local ideal para ficar em contato com a natureza. Foi criado, em 1989, para preservar a Lagoinha das Tachas e os arredores, habitat de espécies vegetais e animais ameaçados. Tem trilhas ecológicas, área de recreação, visitas guiadas e contato direto com os animais. Fica na Avenida Jarbas de Carvalho 679, no Recreio dos Bandeirantes.

» Praias selvagens


A cidade do Rio de Janeiro é muito conhecida por suas belezas naturais. As praias selvagens - que ainda não sofreram interferência do homem - são uma boa opção tanto para quem quer pegar boas ondas como para quem procura tranquilidade. Fuja das mais famosas do Rio de Janeiro e descubra outras paisagens paradisíacas para dar um mergulho:

Praia do Perigoso
Foto: Encontre sua Viagem/Reprodução
Foto: Encontre sua Viagem/Reprodução

A Praia do Perigoso está na Zona Oeste da capital carioca, bem longe da badalação das praias da Zona Sul. Chegar lá não é muito fácil. É necessário enfrentar uma trilha que pode incomodar quem não está acostumado a uma boa caminhada. Partindo da Praia da Barra de Guaratiba e passando pela Estrada Roberto Burle Marx, são cerca de 2km a pé. Mas o esforço vale a pena e a visita também é de tirar o fôlego. Aproveite a visita para ir até o topo da Pedra da Tartaruga. Fica no Bairro de Guaratiba.

Praia do Meio
Foto: Blog Motive-se/Reprodução
Foto: Blog Motive-se/Reprodução

A 500 metros da Praia do Perigoso está a do Meio, a maior entre as cinco praias selvagens e a queridinha dos surfistas. Para chegar até lá, o visitante precisa voltar para a trilha da Praia do Perigoso e seguir adiante. Quem está na região, pode aproveitar para ir até a Pedra do Telégrafo. A trilha precisa ser feita com cuidado e requer um pouco de esforço. Do topo, o turista tem uma bela vista das belezas naturais do Rio de Janeiro.

Praia dos Búzios
Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução
Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução

Partindo da Praia do Canto, na Barra de Guaratiba, está a trilha até a Praia dos Búzios - ou das Conchas. Essa praia selvagem é ideal para quem gosta de aventura e para quem não se importa com a falta de infraestrutura. Lá só se encontra mar e areia. Para chegar, o turista precisa enfrentar morros e caminhos de pedra, o que exige um cuidado redobrado de quem decidir se aventurar.

Praia Funda
Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução
Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução

Além de aproveitar a quarta praia selvagem da Zona Oeste, o turista que visitar a Praia Funda também pode conhecer a Ponta do Picão, que tem uma bela vista para a Restinga - depósitos arenosos paralelos à costa - de Marambaia. Partindo do ponto inicial, a Praia da Barra de Guaratiba, são 3,5 km de trilha até a Praia Funda.

Praia do Inferno

Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução
Foto: Giro Carioca Tour/Reprodução

Por causa das ondas agitadas, a Praia do Inferno também é point de surfistas. Cercada por grandes pedras e mata Atlântica, a Praia do Inferno fica nas proximidades do Morro da Barra de Guaritiba e tem apenas 300 metros de extensão. Ela é a última na trilha das cinco praias selvagens.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas