Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 22/NOV/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Luta » Twitter anuncia regras mais duras para combater o assédio sexual As novas regras começarão a ser aplicadas nas próximas semanas, informou o Twitter na terça-feira à noite.

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 18/10/2017 09:28 Atualização:

O Twitter anunciou regras mais duras para regular tuites que contenham "nudez não consensual" e mensagens de assédio, em uma intensificação da luta contra a agressão sexual em meio ao escândalo de abuso protagonizado pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

As novas regras começarão a ser aplicadas nas próximas semanas, informou o Twitter na terça-feira à noite.

A rede social "suspenderá imediatamente e de forma permanente qualquer conta identificada como a fonte original de nudez não consentida e/ou usuários que claramente estão publicando informação para assediar alguém", afirma o comunicado.

O Twitter define "nudez não consensual" como "conteúdo com imagens debaixo de saias" ou "conteúdo de câmeras ocultas", entre outros.

Como as pessoas que aparecem nestas imagens "frequentemente não sabem que o material existe, não vamos exigir uma notificação da vítima para removê-lo", explica o comunicado.

O Twitter também indicou que as conversas com teor sexual e a troca de publicações sexuais será "inaceitável" e prometeu adotar ações quando for notificado.

As medidas seguem uma promessa feita na sexta-feira passada pelo cofundador do grupo Jack Dorsey e são anunciadas após a revolta provocada pela suspensão temporária da conta da atriz Rose McGowan, uma das que acusou Harvey Weinstein de agressão sexual.

A conta foi suspensa depois que McGowan publicou uma obscenidade contra o ator Ben Affleck, que segundo ela mentiu ao afirmar que não sabia do histórico abusivo de Weinstein. A rede social, no entanto, afirmou que a suspensão aconteceu porque a atriz rompeu as regras ao publicar um número de telefone pessoal.

O famoso produtor foi demitido do cargo de codiretor da The Weinstein Company há 10 dias e na terça-feira renunciou ao conselho de administração da empresa, da qual está completamente afastado.

Quase 40 atrizes, incluindo Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Mira Sorvino, afirmaram que foram assediadas sexualmente pelo produtor. 

O escândalo também provocou muitas reações nas redes sociais, onde mulheres de todo o mundo revelaram casos de assédio e agressões.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]