Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 18/OUT/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

STEVE JOBS » iPhone completa dez anos, o que esperar daqui para frente

Estado de Minas

Publicação: 29/06/2017 10:41 Atualização: 29/06/2017 10:49

Pplware/Reprodução
Pplware/Reprodução
Há exatos dez anos, a máxima do escritor britânico Arthur C. Clarke se confirmava mais uma vez: 'Qualquer tecnologia suficientemente avançada é equivalente à mágica'. Foi no dia 9 de janeiro de 2007 que o mestre-mago da Apple, Steve Jobs, mostrou ao mundo, pela primeira vez, o que viria a criar todo um buzz inacreditável no mercado: o iPhone. Cinco meses e vinte dias depois, no dia 29 de junho, o aparelho começava a ser comercializado.

Para além de criar um novo produto, o que o iPhone trouxe foi muito maior: a forma com que o consumidor lidava com mídias e formas de se comunicar foi inevitavelmente descolada para o caminho que hoje segue. Desacreditado por muitos críticos em seu nascimento, o iPhone mostrou-se inovador a cada nova versão e, ao mesmo até a morte de Steve Jobs em 2011, era consenso que o aparelho sempre estava um passo à frente do mercado.

De onde veio, onde está

Apesar de ser quase sinônimo de telefonia celular hoje, as telas sensíveis ao toque eram uma realidade muito distante em 2007. Presentes em alguns celulares como os da linha Palm %u2013 em que uma caneta especial era necessária para o seu manuseio - a experiência de utilização era insatisfatória e o produto era considerado de nicho. Poucos sabem, porém, como surgiu, na cabeça de Jobs, a ideia de criar um telefone celular com uma tela 'gigante' que cobria grande parte do aparelho. "Você pode ter qualquer botão em qualquer lugar, como se os botões surgissem de forma a se encaixar nos aplicativos", disse o ex-CEO da Apple no evento em que apresentou o iPhone ao mundo.

O primeiro smartphone da Apple, apesar de muito rudimentar comparado ao que é comercializado hoje, trouxe um novo panorama para a telefonia móvel. Batendo de frente com os Nokia e Blackberry que dominavam o mercado, o primeiro iPhone vinha equipado com uma tela de 3.5 polegadas (hoje o padrão é de 5.5 polegadas) sensível ao toque, com uma resolução de 480×320 pixels %u2013 a maioria dos smartphones hoje possui telas de 1920×1080. O Smartphone não vinha equipado com câmera frontal e não havia, no lançamento, a possibilidade de baixar aplicativos para o dispositivo ainda, uma vez que a loja de aplicativos da Apple para celulares foi inaugurada somente em julho de 2008.

O iPhone 7 plus %u2013 modelo mais potente da marca até hoje %u2013 traz uma tela de 5.5 polegadas Full HD (1920×1080), um processador com quatro núcleos, um sensor de impressão digital, duas câmeras traseiras e uma bagagem de mais de 2 milhões de aplicativos disponíveis para serem baixados.

Inovação, mercado e futuro

Se é indiscutível o talento de Steve Jobs, o que está em pauta hoje em relação à Apple é o futuro da companhia após a morte dele. Desde que assumiu a empresa, em 2011, Tim Cook vem sendo alvo de controvérsias entre os entusiastas por tecnologia. Acusado de %u2018viver sobre os feitos passados%u2019 da Apple, o CEO, em contrapartida, aumentou muito as vendas de iPhones %u2013 apesar de terem caído nos últimos anos. "Não vimos inovações consideráveis da Apple desde o final da era Jobs. O último iPhone 7 vendeu bem, mas continua sendo o mesmo aparelho", declarou à AFP Vivek Wadhwa, professor da Universidade de Carnegie Mellon e ex-empresário no Vale do Silício. Há quem considere Tim Cook como "um bom homem de negócios, mas um péssimo visionário", como afirmou também à AFP Jan Dawson, fundador da companhia de pesquisa e análise tecnológica Jackdaw Research. "Tim Cook é um sujeito que se ocupa do operacional. É muito bom para obter uma rede de fornecedores para produzir coisas", resumiu. No ano passado, a Apple vendeu 430 mil iPhones a menos do que no ano anterior.

iPhone 8 e rumores

Todos os rumores indicam que a Apple "pule" uma geração de seus smartphones e lance um "iPhone 8" em comemoração aos 10 anos do primeiro produto. Entre várias imagens 'vazadas', análises de patentes e informações picadas fornecidas por executivos da empresa, tudo aponta para que o novo iPhone tenha uma tela que cubra quase a totalidade da parte frontal do dispositivo, possua um sensor de impressão digital integrado ao touchscreen e tenha duas câmeras verticais. O anúncio do novo aparelho deve acontecer em setembro deste ano.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]