Prevenção Doença transmitida por Aedes aegypti pode matar os pets O mosquito pode infectar cachorros com um verme letal. Em humanos, ele transmite dengue, zika, chicungunha e febre amarela

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 23/02/2018 15:12 Atualizado em:

Os sintomas são tosse, diminuição do apetite e cansaço ao praticar atividades físicas. Foto: Flickr/Reprodução
Os sintomas são tosse, diminuição do apetite e cansaço ao praticar atividades físicas. Foto: Flickr/Reprodução

Apesar de pouco conhecida entre os tutores de pets, a dirofilariose é uma doença silenciosa que acomete os cães e tem como agente transmissor os mosquitos, dentre eles o Aedes aegypti, também responsável por transmitir a dengue aos humanos. Ao picar o animal, o mosquito infectado transmite o verme Dirofilaria immitis, parasita que se desenvolve no coração dos cães.

A partir do momento em que o verme se aloja no coração e nos grandes vasos sanguíneos, lesões importantes poderão ocorrer e dependendo da gravidade, levar o animal à morte. Esses parasitas alcançam a corrente circulatória e se alojam nas artérias pulmonares e ventrículo direito do coração, se desenvolvendo e iniciando sua fase reprodutiva, liberando assim, novos parasitas para a circulação, alerta a Comissão de Animais de Companhia do SINDAN – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal.

Quando acometidos, os cães podem apresentar tosse, diminuição do apetite e cansaço ao praticar atividades físicas. É fundamental que os donos levem seus pets ao médico veterinário regularmente porque quanto mais cedo o animal for diagnosticado menor será a gravidade do problema e maiores são as chances de responder positivamente ao tratamento.

A melhor forma de evitar a dirofilariose é por meio da prevenção, que pode ser realizada com a utilização de produtos que auxiliam na repelência dos mosquitos, mantendo-os afastados dos cães e o uso de vermífugos que tenham atuação frente as larvas da dirofilária, matando-as antes que alcancem o coração do pet.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas