• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Dicas » Pedaço 'inofensivo' de delícias natalinas pode se tornar problema para os pets Confira dicas de como evitar a intoxicação alimentar do seu animal e os alimentos proibidos na Ceia de Natal

Estado de Minas

Publicação: 21/12/2017 11:40 Atualização:

Chocolate pode até matar o animal de estimação. Foto: Grupo Ipet/Divulgação
Chocolate pode até matar o animal de estimação. Foto: Grupo Ipet/Divulgação

Eles chegam daquele jeito manso e olhar pidão. Não raro, tem sempre alguém que se rende ao charme dos pets e acaba dando aquele pedaço "inofensivo" de alguma delícia da ceia de natal. Mas, o gesto que parece de carinho, pode se transformar num grande problema para a saúde dos animais.

Por isso, é importante ficar de olho. Um dos exemplos mais comuns que causam a intoxicação alimentar nos pets são os chocolates. Há sempre alguma sobremesa preparada com a iguaria ou mesmo os indispensáveis chocotones. Além do açúcar, o chocolate contém teobromina, que pode até matar um cão. Na lista de proibições, essa é a primeira. Os animais também não podem ingerir temperos como alho e cebola. O estômago deles não está preparado para lidar com sabores tão fortes e marcantes, podendo causar algum tipo de intoxicação alimentar e até mesmo anemia.

Engana-se quem pensa que as frutas estão liberadas. Nem todas podem ser oferecidas aos animais. Entre as mais prejudiciais estão a uva e o abacate. O abacate tem uma substância chamada Persina que pode causar danos gastrointestinais e até respiratórios. Já a uva (inclusive a uva passa) pode provocar doença renal, além de vômitos e diarreias, que podem provocar uma profunda desidratação.
 
Amêndoas, amendoins, castanhas ou qualquer tipo de semente contém um alto teor de fósforo, que pode prejudicar o organismo do animal. As nozes, por exemplo, são altamente tóxicas. Produtos lácteos, como sorvete, queijos e iogurtes são proibidos devido ao alto teor de lactose e excesso de gordura. A grande quantidade de nata pode causar grandes danos à saúde do animal, em especial ao estômago.

Mas, se tantos alimentos são proibidos, como fazer os pets participarem desse momento tão importante para a família sem deixá-los de lado? Simples. Espalhe pela casa algumas variedades de petiscos para eles. Felizmente, com os avanços da indústria pet, opção é o que não falta, indica a médica veterinária Cibele Erreiras Ruiz, que atua na clínica geral e nefrologia e urologia veterinária da Bele Bichos e consultora do Grupo Ipet.

Hoje, é possível encontrar panetones, snacks diversos, além de vinho e cerveja para cães. O grande diferencial desses alimentos é que eles respeitam a saúde dos animais e possuem apenas ingredientes que fazem bem a eles. Dessa forma, tendo opções específicas para os pets sempre à mão dos convidados, ninguém vai se sentir tentado a dar só aquele "pedacinho". Instrua seus amigos e familiares sobre os agrados que eles podem oferecer aos pets e aproveite as festas compartilhando apenas o que há de melhor e mais seguro para o seu melhor amigo.

Produtos lácteos, como sorvete, queijos e iogurtes são proibidos devido ao alto teor de lactose e excesso de gordura. Foto: Grupo Ipet/Divulgação
Produtos lácteos, como sorvete, queijos e iogurtes são proibidos devido ao alto teor de lactose e excesso de gordura. Foto: Grupo Ipet/Divulgação


ESTUDOS
Cientistas britânicos alertam que o chocolate é tóxico para os cachorros. "Os donos de cães precisam estar conscientes do risco mais alto, especialmente durante a temporada de festas de fim de ano (e, em menor medida, Páscoa), onde o chocolate se torna mais acessível em casa", apontam os pesquisadores da universidade de Liverpool. Para o "melhor amigo do homem", o inimigo se chama teobromina, uma substância amarga encontrada nos grãos de cacau. Provoca vômitos, diarreia e até palpitações, convulsões, batimentos cardíacos irregulares e, em casos mais graves, sangramento interno e ataques cardíacos.

De acordo com dados coletados de 229 centros veterinários do Reino Unido entre 2012 e 2017, o risco de intoxicação por chocolate é quatro vezes maior no Natal e duas vezes maior na Páscoa do que no resto do ano. Os cães comeram de caixas de chocolate, pedaços de bolo, figurinhas (Papai Noel, coelhos, etc.), calendários ou decorações de natal. Os pesquisadores isolaram 375 animais afetados pelo problema. É mais comum em cães jovens (menores de 4 anos) do que em cães mais velhos, mas não em uma raça mais do que em outras.

O chocolate também é tóxico para os gatos, mas eles parecem menos tentados. Se os sintomas aparecem em um cachorro que pode ter comido chocolate há quatro ou cinco horas, a rede farmacêutica Giphar recomenda, em seu site, levá-lo ao veterinário, deixando-o calmo e abaixando a temperatura com uma toalha úmida na parte de trás do pescoço.

*Com informações da AFP

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas