Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 19/OUT/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Saúde » Reeducação alimentar: a esperança para cães gordinhos Pesquisa internacional feita em 27 países constatou que cães obesos e com sobrepeso perderam 11% do peso inicial com alimento rico em proteína

Correio Braziliense

Publicação: 25/09/2017 07:44 Atualização: 25/09/2017 08:20

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
A obesidade é a condição médica mais comum em cães e, como em humanos, está associada a uma variedade de doenças, incluindo diabetes, alteração da função renal, disfunção respiratórias e problemas ortopédicos. Além disso, a qualidade de vida é pior em cães obesos. Atualmente, o tratamento da obesidade consiste predominantemente na restrição da ingestão calórica, com porções reduzidas, e no aumento da atividade física.

Agora, pesquisadores do Small Animal Teaching Hospital da Universidade de Liverpool realizaram o maior estudo internacional sobre perda de peso em cães, envolvendo 340 clínicas veterinárias em 27 países do mundo. Todos os cães receberam uma dieta de perda de peso de alta proteína e formulação especialmente para o teste, em um período de três meses. Nesse período, os tutores tinham de anotar os níveis de atividade e alterações no comportamento do animal em relação à comida (por exemplo, se pareciam estar com mais fome).

A maioria dos cães conseguiu emagrecer em três meses, sendo que a média de perda foi 11% do peso corporal inicial. No entanto, observaram-se diferenças entre cães castrados e não-castrados: os primeiros perderam menos peso. Fêmeas também tiveram mais sucesso que os machos.

“Esse é o maior estudo de perda de peso multicêntrico e internacional realizado até o momento em cães com sobrepeso”, disse um dos autores do trabalho,  Alex German. “Embora a curta duração tenha feito com que alguns cães não tenham atingido o peso alvo, o fato de os tutores terem observado um nível maior de atividade e uma melhora na qualidade de vida sugere benefícios reais desse regime para o bem-estar do anima”, disse.

Vale lembrar que a fórmula usada na pesquisa ainda não está disponível no mercado. Antes de mudar a alimentação do pet, procure sempre um veterinário.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]