Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Diario de Pernambuco Assine o Diario Central de assinantes
Pernambuco.com

Recife, 22/AGO/2017

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pets » 'A um passo de ter uma revolução', afirma Luisa Mell sobre castração como política pública Ativista também comemora avanço do projeto que fala sobre o fim do sacrifício de animais com zoonoses

Paloma Oliveto - Correio Braziliense

Publicação: 16/03/2017 11:40 Atualização: 16/03/2017 11:50

"Nós estamos a um passo de ter uma revolução. Falta só o presidente Michel Temer sancionar a lei que prevê a castração como política pública", afirmou. Foto: Divulgação
"Nós estamos a um passo de ter uma revolução. Falta só o presidente Michel Temer sancionar a lei que prevê a castração como política pública", afirmou. Foto: Divulgação
Há mais de uma década, Luisa Mell, 34 anos, é uma referência na causa animal. Com mais de 3 milhões de seguidores nas redes sociais, a ex-apresentadora de TV se orgulha de conquistas como a proibição de animais em circos, o aumento no número de adoções e as diversas campanhas de conscientização. Agora, grávida do segundo filho, ela conseguiu mobilizar gestantes de São Paulo para acabar com o mito de que gravidez e pets não combinam.

Em entrevista, a ativista garantiu que, em breve, o país poderá comemorar uma conquista: a sanção da lei que torna a castração uma política pública. Confira:

Você recebe muitos pedidos de ajuda para resgates e adoção, todos os dias. Como lida com o fato de ser impossível ajudar a todos?
Recebo centenas de pedidos de resgates todos os dias. É impossível resgatar todos os animais, então nós trabalhamos com os que estão precisando mais, os que estão doentes, feridos, mutilados, e os filhotes, que têm pouca chance de sobrevivência nas ruas.

Como você escolhe os temas das suas campanhas? O fato de estar gestante inspirou o “Grávidas contra o abandono”?
Os temas têm muito a ver com a minha vida e as coisas que vou observando na sociedade. Quando eu engravidei, eu descobri que uma das maiores taxas de abandono de animal doméstico era quando a mulher engravidava, por preconceito, ignorância. Então, resolvi fazer essa campanha para modificar essa realidade.

Do ponto de vista de políticas públicas, quais deveriam ser as prioridades dos governantes, para garantir o bem-estar animal?
Nós estamos a um passo de ter uma revolução. Falta só o presidente Michel Temer sancionar a lei que prevê a castração como política pública. A gente já conseguiu passar na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Acho que isso é um grande avanço. Também estamos com um projeto que está para ser sancionado pelo presidente, que fala sobre o fim do sacrifício de animais sadios nos controles de zoonoses, e batalhamos muito para acabar com carroças e charretes de tração animal.

De todas as suas conquistas com o envolvimento na causa animal, quais as que mais te dão orgulho?
Tenho muito orgulho de ter praticamente extinguido o circo com animais no país. Eu não consegui uma lei federal, mas consegui em várias cidades, além da conscientização das pessoas. Acho que meu trabalho também é um dos grandes responsáveis pelo aumento do número de adoções, que cresceu muito nos últimos anos, desde que eu comecei a fazer esse trabalho. Cada vida que eu salvo eu considero uma conquista. Cada vida salva vale todo o esforço.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.









SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss

[X Fechar]