• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Solidariedade » Internautas reúnem US$ 50 mil para ajudar policial aposentado a ficar com seu cachorro O objetivo é garantir que o policial não tenha problemas em vencer o leilão e arremate seu amigo

Publicação: 01/02/2016 10:39 Atualização:

Matthew e Ajax foram parceiros na força policial por três anos. Foto: GoFund.Me/Divulgação
Matthew e Ajax foram parceiros na força policial por três anos. Foto: GoFund.Me/Divulgação

Nos últimos três anos, o policial Matthew Hickey teve como parceiro o cão Ajax. Ao resolver se aposentar, o norte-americano planejava levar seu amigo para morar com ele. Entretanto, de acordo com a lei da cidade de Marietta, em Ohio, onde Matthew vive, Ajax é propriedade do município. A legislação do estado ainda afirma que um oficial da lei que deixa o serviço enquanto o cão policial ou cavalo atribuído ao agente ainda estiver apto para o serviço perde o direito a comprar o animal. 

Mesmo tendo dinheiro para comprar Ajax, Matthew teve sua oferta rejeitada. Ajax tem seis anos de idade e ainda é considerado apto para trabalhar na força policial por mais alguns anos. A lei determina que após a aposentadoria, o cachorro seja vendido em um leilão limitado aos policiais, na ativa ou aposentados, e aos criadores de cães policiais. O valor de Ajax seria de US$ 3,5 mil.

Como a história de Matthew e Ajax foi notícia nos Estados Unidos, os internautas se sensibilizaram com o policial e organizaram uma petição com mais de 22 mil assinaturas para demonstrar o seu descontentamento com a lei da cidade de Marietta.

Em seguida, os internautas resolveram mudar de estratégia e garantir que Matthew consiga arrematar Ajax. Uma página de financiamento coletivo já arrecadou mais de US$ 50 mil em menos de uma semana para que o policial não tenha problemas em vencer o leilão. A data da operação ainda não foi definida, mas deve ser anunciada nesta quinta. Caso alguma parte do dinheiro sobre, o valor restante deverá ser gasto em coletes de proteção para os cães policiais.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas