Novidade Mercado da Encruzilhada: Nova área gastronômica vai do café da manhã aos drinques Espaço terá samba aos domingos, no corredor onde ficam o Meu Muquifo, ReiNado e Beberibe

Publicado em: 07/01/2018 15:01 Atualizado em: 12/01/2018 19:31

Decoração com taças suspensas, cristaleiras e um grande painel no qual estão impressas gírias e nomes de receitas tradicionais nordestinas, dão charme ao Beberibe. Foto: Peu Ricardo/DP
Decoração com taças suspensas, cristaleiras e um grande painel no qual estão impressas gírias e nomes de receitas tradicionais nordestinas, dão charme ao Beberibe. Foto: Peu Ricardo/DP


A movimentação nos mercados públicos começa cedo, como preconiza o costume. As portas do Mercado da Encruzilhada, erguido no século 19, em 1824, à Rua Doutor José Maria, abrem às 7h. É também o horário da primeira fornada da padaria e pizzaria Meu Muquifo, comandada por Paulo Carvalho, para receber clientes no café da manhã.

O popular pão francês, vendido a granel, também é servido na chapa (R$ 2) ou com recheios - ovo (R$ 4), queijo (R$ 4,50), mortadela (R$ 6), muito famoso no Mercado Municipal de São Paulo, queijo do reino (R$ 7), mortadela e queijo do reino (R$ 9). O produto quentinho é garantido às 11h, 14h e 16h, diariamente, exceto às segundas-feiras. 

Croissants com ou sem recheio são queridinhos do público. Foto: Peu Ricardo/DP
Croissants com ou sem recheio são queridinhos do público. Foto: Peu Ricardo/DP
Croissants, servidos com ou sem recheio (de R$ 7 a R$ 17, com presunto de parma e queijo do reino), dividem o posto de queridinhos da casa com as pizzas, feitas a partir de fermentação natural, com fermento trazido pelo próprio Paulo de Florença, na Itália, após curso no país com maior gabarito no setor.

As pizzas custam a partir de R$ 28,90 e as mais requisitadas são Marguerita (molho de tomate, queijo muçarela, tomate, manjericão e orégano, por R$ 31,90) e Nordestina (molho de tomate, queijo muçarela, charque desfiada, catupiry, cebola, cheiro verde e orégano). A relação de Paulo com as redondas vem da infância - o pai dele foi dono da Flor de Cheiro e ele mantém o Home Pizza, cuja proposta é realizar o preparo na casa das pessoas, em festas ou jantares. 

No rol das sobremesas, a casa oferece pizzas doces (Cartola, por R$ 35,90, Romeu e Julieta, por R$ 35,90, e Brigadeiro, por R$ 37,90), além de Pain au chocolat, originário da França e bastante popular em países como Bélgica e Holanda, e croissant com recheio de doce de leite e creme de pasteleiro.

Os dois outros destinos do corredor - apelido pelo qual tem sido chamado tanto pelos responsáveis pelo box quanto por clientes - são dedicados a lanches e petiscos. A pastelaria ReiNado (com N maiúsculo, em homenagem aos pais dos donos, a gastrônoma Ana Lins e o irmão, Edmário Júnior), claro, tem como carro-chefe a massa frita e recheada, com ingredientes habituais. Vão de R$ 6 (carne, queijo, frango ou pizza) a R$ 10 (camarão ou palmito). 

Caldinhos de feijão e jerimum são uma boa pedida no espaço recém-inaugurado. Foto: Peu Ricardo/DP
Caldinhos de feijão e jerimum são uma boa pedida no espaço recém-inaugurado. Foto: Peu Ricardo/DP
“A ideia é fazer uma coisa simples. O básico bem-feito e com produtos de qualidade. Atualmente, são 11 sabores, mas pode mudar de acordo com a disponibilidade, e outros devem ser acrescentados”, conta Ana, sobre o cardápio criado por ela e Thiago Rangel. O cardápio é rabiscado diariamente, com giz, o que já confere ares de decoração. Os bolinhos de feijoada, com coentro e bacon no interior, merecem as mordidas (R$ 12, com seis). 

O maior espaço é o Beberibe, das pesquisadoras Lúcia e Fernanda Correia e do jornalista Stênio José. É o mais atraente em termos estéticos, devido à decoração com taças suspensas, cristaleiras ao fundo e um grande painel no qual estão impressas gírias e nomes de receitas tradicionais nordestinas.
 
O sotaque local foi adotado em todos os pratos, desde o caldinho (Eita, de feijão, por R$ 6,50, ou GaleGo, de jerimum, por R$ 7,50) até a linguiça alemã (Danousse, por R$ 22,50), passando pelos escondidinhos (Arretado, de macaxeira com camarão, por R$ 28,50, e Abitolado, de jerimum com charque, por R$ 22,50). O nome Beberibe foi escolhido em referência à avenida, nos arredores, ao importante rio e ao verbo bebericar, já que a casa vai das cachaças aos drinques.

A Área Gastronômica funciona de terça-feira a domingo. Há dois pontos a serem ajustados: a climatização, que será provida por ventiladores, e a manutenção do banheiro, a cargo da gestão municipal e ainda aquém do ideal. Meu Muquifo abre às 7h, enquanto ReiNado e Beberibe funcionam a partir das 9h. Entre as quintas-feiras e sábados, o corredor funciona até aproximadamente 20h. Aos domingos, as atividades são encerradas por volta das 17h, exceto em dias de música, quando segue a lei do “último cliente”. Ou quase, pois é um mercado público.

Pedida certa no mercado

Fundado em 1991, é um dos chamarizes gastronômicos do local, com destaque para o famoso bolinho de bacalhau (R$ 3,50 a unidade). Foto: Peu Ricardo/DP
Fundado em 1991, é um dos chamarizes gastronômicos do local, com destaque para o famoso bolinho de bacalhau (R$ 3,50 a unidade). Foto: Peu Ricardo/DP


É impossível falar de gastronomia e Mercado da Encruzilhada sem se lembrar do restaurante. Criado pelo português Manoel José Alves e mantido com a ajuda da filha, Flávia Alves, oferece café da manhã com pratos regionais, petiscos e almoço, que obedece ao prato do dia. Na Praça da Alimentação, localizada na ala sul do prédio, estão ainda o Confraria do Lelo, o bar e cachaçaria Minha Deusa, mantido por Joás Ramos Xavier e Bradene há 15 anos, e o Família Fernandes Comedoria, onde podem ser apreciadas receitas como rabada, sarapatel, cupim e carne de sol. Todos abrem diariamente, de acordo com o horário do mercado, exceto o último, que fecha aos domingos.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas