Artes visuais Exposição no Recife propõe viagem sensorial à cultura sertaneja Tengo lengo tengo, montada no Caís do Sertão, ainda contará com extensa programação de oficinas, shows e até uma Missa do Vaqueiro

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/06/2019 09:31 Atualizado em: 13/06/2019 13:23

Foto: Francisco Andrade
Foto: Francisco Andrade
Atualização: Devido às fortes chuvas que acometeram o estado, a inauguração da mostra foi adiada para o domingo (16). Inicialmente, seria na quinta-feira (13), às 19h.

A exposição Tengo lengo tengo também será inaugurada hoje, a partir das 19h, no Cais do Sertão. O projeto é realizado com o apoio da Secretaria Estadual de Turismo, Secretaria Estadual de Cultura, Cepe e Prefeitura do Recife. A mostra tem curadoria de Rinaldo Carvalho e propõe uma viagem sensorial ao universo e à cultura sertaneja. Em cartaz até 27 de agosto, é dividida em três seções. Começa com o espaço expográfico que trabalha o encantamento com o Sertão através de sensações, com projeções de vídeos e fotos ao som dos sucessos de Gonzagão.

Na segunda parte, Quando o sagrado vem do chão, é centrada na Missa de Serrita e na figura do vaqueiro, com sua “armadura” de couro, fé e tradição. Um altar e uma cruz reproduzem o cenário do evento, desde a festa que reúne sertanejos de grandes distâncias até a parte sagrada. O público poderá conferir um mapa com todas as Missas do Vaqueiro do Sertão, vaquejadas e pegas de boi, com suas respectivas datas. =

Na última parte, chamada A música que eleva as raízes, o visitante pode conferir como a influência de Luiz Gonzaga se espalhou pelo país. O projeto também vai contar com uma extensa programação de oficinas e palestras, com temas como O sertão pelas lentes dos fotógrafos, O armorial e as pedras do reino e O cangaço e gênero. Oficinas de zabumba, de costura do couro (inclusive com uma para crianças), apresentações culturais sertanejas e leituras dramáticas também fazem parte do programa. 

Um destaque é a programação musical, coordenada por Josildo Sá, com várias apresentações ao longo do projeto e a realização da Cavalhada de São José do Belmonte no Recife, no dia 25 de agosto, às 16h, com a participação de 40 cavalos. A encenação inclui jogos medievais de habilidades com o cavalo, como acertar argolas. 

O encerramento da exposição, em 27 de agosto, Dia Nacional do Vaqueiro, será marcado por uma festa com o Som na Rural, tocando sucessos de Gonzaga. Neste domingo, às 16h, a solenidade religiosa do Sertão será realizada em uma reprodução fiel no vão livre do Cais do Sertão. “Queremos fazer essa ponte entre o Litoral e o Sertão, e a Missa do Vaqueiro é um dos acontecimentos mais importantes do Sertão pernambucano, atraindo muitos visitantes”, diz o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas