frança Justiça francesa arquiva denúncia de estupro contra ator Gérard Depardieu

Por: AE

Publicado em: 04/06/2019 15:09 Atualizado em:

Monstro sagrado do cinema francês, o ator de 70 anos, que negava "absolutamente" as acusações, é uma das muitas estrelas questionadas após a onda do #MeToo - Foto: AFP
Monstro sagrado do cinema francês, o ator de 70 anos, que negava "absolutamente" as acusações, é uma das muitas estrelas questionadas após a onda do #MeToo - Foto: AFP
A Justiça francesa decidiu, nesta terça-feira (4), encerrar a investigação por estupro e agressões sexuais contra o ator Gérard Depardieu, aberta após uma denúncia apresentada em agosto de 2018 - informaram fontes judiciais à AFP.

"As inúmeras investigações realizadas no âmbito deste procedimento não permitiram identificar as infrações denunciadas, em todos os seus elementos constituintes", de acordo com a Justiça.

Uma jovem atriz apresentou a denúncia no final de agosto em Lambesc (Bouches-du-Rhone, sudeste da França).

Segundo a demandante, os eventos ocorreram na casa parisiense do ator, uma mansão no centro da cidade, nos dias 7 e 13 de agosto de 2018.

Monstro sagrado do cinema francês, o ator de 70 anos, que negava "absolutamente" as acusações, é uma das muitas estrelas questionadas após a onda do #MeToo.

O advogado do ator francês reagiu ao arquivamento do caso, referindo-se a "uma forma de alívio", após acusações "vividas muito dolorosamente" por seu cliente.

Gérard Depardieu, um dos atores franceses mais conhecidos no exterior, foi ouvido pela polícia no final de novembro.

Ns últimos meses, várias personalidades do mundo do entretenimento francês foram investigadas após acusações similares, mas seus casos foram arquivados.

Foi o que aconteceu, no final de fevereiro, com o influente produtor e diretor de 60 anos Luc Besson, alvo de uma ação por parte de Sand Van Roy, atriz e modelo belgo-holandesa nascida em 1990.

Surgidos no âmbito da queda do produtor americano Harvey Weinstein em outubro de 2017, estes casos, difundidos nas redes sociais pelo movimento #Metoo, ampliaram-se para outras áreas e atividades.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas