televisão João Kléber terá programa com as ex-sedutoras do Teste de Fidelidade na internet

Por: FolhaPress - FolhaPress

Publicado em: 24/05/2019 18:40 Atualizado em: 24/05/2019 19:01

Foto: Artur Igrecias/Rede TV/
Foto: Artur Igrecias/Rede TV/

Se você ligasse sua televisão no final da década de 1990, uma das opções seria assistir ao programa Te Vi na TV, comandado pelo apresentador João Kléber, 61, na RedeTV!. Além das pegadinhas, o principal quadro "Teste de Fidelidade", que desafiava a lealdade de casais a partir de provas e jogos divertidos, era contestada pelo público sobre sua veracidade.

Ao longo dos anos, o programa passou por várias mudanças de nome e chegou a ser cancelado após uma decisão judicial considerar a atração como imprópria para exibição no período da tarde. Com a mulher, Kléber foi para Portugal e estreou uma versão do Teste de Fidelidade em terras lusitanas.

Em 2011, ele retornou ao Brasil para participar do reality A Fazenda. Na sequência, ele foi recontratado pela RedeTV! e hoje tem dois programas na emissora. 

Vendo o sucesso que o quadro fazia na TV, o apresentador lança nesta sexta-feira (24) um canal no YouTube com figuras marcantes que passaram ao seu lado no quadro Teste de Fidelidade, e afirma que será cheio de loucuras e improviso.  Ele conta que seu canal não terá roteiro e será totalmente improvisado, igual ele faz na televisão.

"Meu canal vai ser muito louco, muito louco. Será eu com as ex-sedutoras do Teste de Fidelidade, algumas delas, as mais famosas", afirmou João Kléber, que passa a integrar o time da Peanuts, o braço digital da emissora paulistana, ao lado de figuras como Edu Guedes e Val Marchiori, que recentemente estrou um canal sobre sua vida, carreira e família.

"Comigo não tem nada roteirizado, não uso teleprompter, nada. É tudo no improviso. Eu recebo a informação e passo ela no improviso, porque eu acho que se você decora demais, fica muito mecânico", completa o apresentador, que namora a jornalista Mara Ferraz, 48.

A ideia, segundo João Kléber, é um bate-papo com personagens marcantes de seu programa, como Marcia Imperator. Serão perguntas, questionamentos e afirmações enviadas pelos telespectadores do apresentador pela internet.

"Vai ser uma conversa com elas na qual o internauta vai enviar perguntas e eu vou mediando. Será muito louco e divertido", explica o apresentador.

Em conversa com a Folha no dia do lançamento do canal da socialite e empresária Val Marchiori, João Kléber contou que a RedeTV! chegou a cogitar em lançar os dois canais juntos, mas que não teve tempo hábil de gravar episódios suficientes por conta de uma viagem pessoal.

João Kléber afirma ainda que não se considera um apresentador, mas, sim, o que ele chama de "entertainer". "Decorar faz o apresentador ficar muito mecânico. Na verdade, eu não sou apresentador, né? Eu sou um "entertainer". Gosto de me divertir e o dia que eu não me divertir enquanto gravo vai ser complicado."

"VOCÊ NUNCA VERÁ POLÍTICA NO MEU PROGRAMA" 

Ainda falando sobre se divertir, João Kléber diz que os telespectadores nunca verão política em seu programa e que seu objetivo principal, como comunicador, é fazer os outros rirem. "Não falo nem de política nem de religião ou futebol. Quero fazer o povo rir. Política no meu programa não. É um tema polêmico, deixo para quem entende mais, como comentaristas políticos."

Questionado sobre o que falaria caso lhe perguntassem sobre o governo de Jair Bolsonaro, João Kléber conta que não conseguiria falar, pois já se decepcionou muito com políticos e governos e que, hoje em dia, só enxerga o trabalho como meio de mudança viável.

"Eu acho que para falar de governo, eu não conseguiria, porque já passei por tantos. Eu me decepcionei com tantos e me empolguei com tantos outros. Hoje enxergo da seguinte forma: 'Se eu não trabalhar, se eu não der duro, se eu não acordar às 6h, como eu faço, não vai rolar."

No final de março deste ano, João Kléber viu um de seus colegas de trabalho mais antigos morrer -o ator Marco Antônio Eugênio Martini, conhecido como "Marquinhos", responsável pela pegadinhas de seu progrmaa. "Uma tristeza perder o Marquinhos. Recebi a notícia quando ele foi internado, tínhamos gravado naquele dia mais cedo e a esposa dele me ligou. No começo, achavam que era infarto, mas depois viram toda a complicação", referindo-se ao câncer no cérebro do humorista.

João Kléber conta que o responsável pelas piadinhas exibidas em seu programa foi a primeira pessoa que ele contratou quando voltou ao Brasil e afirma, com pesar, que os dois ficaram juntos até Marquinhos morrer: "Morreu novo, com 72 anos. Tava a mil, produzindo sem parar, gravando muito. Um cara querido por mim", finalizou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas