Cinema Pernambucano Kleber Mendonça disputa Palma de Ouro em Cannes

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 18/04/2019 10:16 Atualizado em: 18/04/2019 19:01

Foto: Thibault Camus/AFP
Foto: Thibault Camus/AFP

Kleber Mendonça Filho está de volta à Seleção Oficial competitiva do Festival de Cannes, realizada de 14 a 25 de maio, com seu terceiro longa-metragem, intitulado Bacurau, coescrito e codirigido por Juliano Dornelles. Na descrição dos diretores, o filme é uma aventura ambientada no Brasil de "daqui a alguns anos". Assim como ocorreu no longa Aquarius (2016), o novo longa terá estreia mundial na principal mostra do festival francês. O lançamento nos cinemas brasileiros será pela Vitrine Filmes (que também distribuiu O Som ao Redor e Aquarius) será no segundo semestre. 

O longa foi rodado no Sertão do Seridó, divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba, exatamente um ano atrás. As locações foram encontradas depois de a equipe percorrer mais de dez mil quilômetros em Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. As filmagens duraram dois meses e três dias, com uma equipe de 150 pessoas. As cidades de Parelhas e Acari serviram de base para a produção.

Depois dos dez meses de montagem no Recife, Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho estão em Paris trabalhando na pós-produção de Bacurau, que envolve imagem e mixagem final de som. Esse trabalho vem sendo realizado desde o início do mês de abril e ainda irá durar duas semanas até a cópia final. O filme é uma coprodução Brasil-França.

"Esse é um trabalho de anos, feito com os colaboradores próximos de sempre e alguns outros novos", diz Kleber Mendonça em comunicado à imprensa. "Creio que esse filme é o resultado da nossa relação com os filmes e as pessoas que amamos e que nos formaram, com Pernambuco, com o Brasil e com o mundo. E incrível poder voltar a exibir um filme no Palais em Cannes, três anos depois daquele momento sensacional com Aquarius!".

"Gostaria de mandar abraço especial para os moradores de Parelhas, Acari e, principalmente, à comunidade de Barra, onde fizemos Bacurau", continua. "Os quatro meses de trabalho lá com preparação e filmagem confirmaram o que já sei há tantos anos: o trabalho com a cultura nos fortalece, nos legitima. Como foi importante ter podido compartilhar essa experiência de trabalho com tanta gente", continua.

Depois do sucesso internacional de Aquarius (2016), Bacurau é a segunda coprodução entre a CinemaScopio do Recife e a SBS em Paris (Synonymes, de Navad Lapid, vencedor do urso de ouro em Berlim, Elle, de Paul Verhoeven, Mapas para as estrelas, de David Cronenberg). Bacurau também é uma coprodução com a Globo Filmes, Simio Filmes, Arte France Cinema, Telecine e Canal Brasil.

Sonia Braga (Dona Flor e Seus Dois Maridos e Aquarius), o alemão Udo Kier (Melancolia) e Karine Teles (Que Horas Ela Volta?) fazem parte de um elenco composto por dezenas de atores, como Barbara Colen (Aquarius), Silvero Pereira, Thomas Aquino, Antonio Saboia, Rubens Santos e Lia de Itamaracá.

Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho colaboraram nos curtas metragens premiados no Brasil e exterior Eletrodoméstica (2005) e Recife Frio (2009), e nos longas também aclamados internacionalmente O Som ao Redor (2012) e Aquarius (2016), filmes dirigidos por Kleber e com direção de arte de Juliano.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas