cultura Inscrições abertas para seleção dos novos Patrimônios Vivos de Pernambuco

Publicado em: 25/03/2019 18:06 Atualizado em: 25/03/2019 18:12

O Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado foi um dos nomeados no ano passado. Foto: Divulgação
O Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado foi um dos nomeados no ano passado. Foto: Divulgação

O Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Cultura (Secult-PE) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), lançou nesta segunda-feira (25), o edital de inscrição para a seleção dos novos Patrimônios Vivos do Estado. Destinada para pessoas físicas e jurídicas, a seletiva vai eleger seis novos nomes, entre artistas e grupos considerados importantes e com relevância para a cultura pernambucana. Em sua 14ª edição, o concurso vai premiar os eleitos com a concessão de uma bolsa de incentivo financeiro, no valor de R$ 1.600 para pessoa física, categoria que abrange mestres, mestras e outros profissionais individuais e R$ 3.200 para pessoa jurídica, voltada para coletivos, como grupos e agremiações tradicionais. Os interessados em participar da seleção devem se inscrever presencialmente ou por meio de correspondência, até o dia 10 de maio, na sede da Secult-PE/Fundarpe.

O incentivo concedido pelo Governo visa reconhecer, estimular e proteger iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sociocultural e profissional dos mestres e mestras e grupos em Pernambuco, almejando o compartilhamento de conhecimentos e de técnicas para alunos (as) ou aprendizes, através de programas de ensino e aprendizagem executados diretamente pela Secult-PE e Fundarpe. Os participantes não precisam necessariamente ser pernambucanos, mas devem apresentar documentos que comprovem sua atuação no Estado há, pelo menos, 20 anos.

A candidatura de um artista ou grupo não pode ser feita por eles próprios, mas por uma entidade ou associação que os represente. A instituição proponente da candidatura por ser: a Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco; entidades sem fins lucrativos, ligadas à cultura e sediadas em Pernambuco há pelo menos 02 (dois) anos; e as câmaras de vereadores dos municípios pernambucanos.

De acordo com o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, além de reconhecer artistas e instituições que contribuem para a arte pernambucana, o concurso fortalece as tradições culturais do estado. “Cabe ao Estado o reconhecimento e a proteção de um Patrimônio Vivo, e cabem aos titulados um compromisso também com a transmissão dos seus saberes. Temos, na programação de diversas ações da Fundarpe, ao longo de todos esses anos de existência desse programa, um número expressivo de ações que envolvem a participação dos nossos Patrimônios Vivos. Estamos certos de que sem esse reconhecimento oficial, muito dos nossos saberes e de nossas tradições estariam caindo no esquecimento. É uma honra pro Governo garantir essa premiação”, avaliou. 

Para o secretário Estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, o registro dos Patrimônios Vivos destaca e traz para a vitrine regional e nacional, figuras que contribuíram para a construção de nossa identidade cultural. “São artistas das mais variadas linguagens, artesãos e artesãs, músicos, cineastas, criadores geniais de nossas tradições que, em muitos casos, estavam esquecidos e passam a fazer parte das ações, dos encontros, dos debates, contribuindo para formação das novas gerações e fortalecendo manifestações, práticas e saberes do nosso povo que não podemos deixar pra trás”.

Confira todos os Patrimônios Vivos de Pernambuco:
 
2005: Maracatu C. M. Leão Coroado (Olinda), Lia de Itamaracá (Itamaracá/Ciranda), Zé do Carmo (Goiana/ escultor e artes.), Sociedade Musical Curica (Goiana ), Manuel Salustiano (Olinda/Rabeca. Em memória), Manuel Eudócio (Caruaru/Artesanato. *Em memória), Mestre Nuca (Tracunhaém/artes cerâmica. *Em memória), Ana das Carrancas (Petrolina/artesanato. *Em memória), J. Borges (Bezerros/Xilogravura e Cordel), Dila (Caruaru/ Xilogravura e Cordel), Mestre Camarão (Recife/Forró. *Em memória) e Canhoto da Paraíba (Recife/Choro. *Em memória).
 
2006: C.A. C. O Homem da Meia Noite (Olinda), Índia Morena (Jaboatão/Circo) e José Costa Leite (Condado/Xilog. e Cordel).
 
2007: Fernando Spencer (Recife/Cinema. *Em memória), Zezinho de Tracunhaém (Artesanato), Confraria do Rosário (Floresta).
 
2008: Caboclinho 7 Flexas (Recife), Selma do Coco (Olinda. *Em memória) e Teatro Experimental de Arte (Caruaru);
 
2009: Clube Indígena Canindé (Recife), Maracatu Estrela Brilhante de Igarassu e Maestro Nunes (Recife/Frevo. *Em memória)
 
2010: Maestro Duda (Recife/Frevo), Didi do Pagode (Recife/Samba) e Sociedade M. Euterpina Juvenil Nazarena - Capa Bode
 
2011: Galo Preto (Paulista/Coco e Embolada), Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e Maria Amélia (Tracunhaém/Artesanato)
 
2012: Arlindo dos 8 Baixos (Recife/Forró. *Em memória), João Silva (Recife/Forró. *Em memória) e Associação Mus. Euterpina de Timbaúba
 
2013: Maestro Formiga (Recife/Frevo), Lula Vassoureiro (Bezerros/Artesanato), Sociedade M. 5 de Novembro - Banda Revoltosa (Nazaré);
 
2014: Lula Gonzaga (Olinda/Cinema), Troça C. M. Cariri Olindense e Mocinha de Passira (Feira Nova/Repente)
 
2016Claudionor Germano (Recife/Frevo), Clube C. M. Seu Malaquias (Recife/Frevo), João Elias Espíndola (Poção/Renda), Sociedade Musical XV de Novembro (Gravatá), Zé Lopes (Glória do Goitá/Mamulengo) e Dedé Monteiro (Tabira/Cordel);
 
2017: André Madureira (Recife/Coreógrafo), José Pimentel (Recife/Arte Cênica), Dona Prazeres (Jaboatão/Parteira), Mestre Chocho (Jaboatão/Choro), Bacamarteiros do Cabo e Reisado do Inhanhum (Santa Maria da Boa Vista)
 
2018: Casa Xambá (Olinda/ Organização Religiosa), Cristina Andrade (Recife /Ciranda, Partoril), Banda Musical Saboeira (Goiana); Gonzaga de Garanhuns (Garanhuns /Reisado); Cavalo-Marinho Estrela de Ouro de Condado e Mestre Zé de Bibi (Glória do Goitá / Cavalo-Marinho).



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas