Teatro Resta 1 Coletivo de Teatro faz temporada de Alguém Pra Fugir Comigo no Recife Espetáculo tem narrativa fragmentada, composta por textos políticos, líricos, filosóficos e relatos de fatos verídicos e imaginários

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/03/2019 13:07 Atualizado em:

Foto: Maíra Arrais/Divulgação
Foto: Maíra Arrais/Divulgação

O Resta 1 Coletivo de Teatro inicia temporada do premiado espetáculo Alguém pra fugir comigo, neste sábado (16), no Teatro Hermilo Borba Filho. De viés político, o espetáculo coloca no palco assuntos que estão na ordem do dia. A encenação é desenvolvida em fragmentos, em uma narrativa aberta, não linear, inspirada em diversas matrizes: textos políticos, líricos, filosóficos; relatos de fatos verídicos e imaginários, ocorridos recentemente ou há décadas, no Brasil de hoje e na Europa do século 19. As apresentações são realizadas aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h.

Ao juntar histórias que tratam das injustiças sofridas todo dia pelas camadas subalternas, o espetáculo dá voz a uma necessidade de dizer “basta!" a desmandos, arbitrariedades, embrutecimentos. No entanto, não se trata de uma obra utópica, que nutre a esperança de respostas fáceis, de saídas prontas, de quimeras de libertação.

De acordo com o diretor Quiercles Santana, "a questão é colocar em evidência a crise ética, social e humana, que está presente desde sempre na história. O espetáculo faz uso de canções, provérbios, imagens, quadros isolados, que se unem para evidenciar pouco a pouco o seu fio condutor: está em causa a necessidade de estremecer as certezas e instaurar um pensamento rebelde, provocador, insubmisso, herético, nômade". Quiercles Santana assina a encenação com Analice Croccia. 

A peça apresenta uma série de cenas intercambiáveis e independentes, que versam sobre o aniquilamento da dignidade, a pena de morte, a perda de norte, a solidão, a loucura, o desprezo, o suborno, o consumo, a tortura, a morte e o desejo de não se submeter mais, de encontrar possíveis rotas de fuga. A montagem parte da perspectiva dos anônimos (que nada têm além de si próprios), dos que estão na base da pirâmide econômica, dos homossexuais, dos delinquentes, dos imigrantes clandestinos, dos explorados, dos espoliados, dos perdidos.

SERVIÇO 
Alguém pra Fugir Comigo, do Resta 1 Coletivo de Teatro
Onde: Teatro Hermilo Borba Filho (Cais do Apolo, 142, Bairro do Recife)
Quando:
do sábado (16) a 7 de abril, aos sábados (20h) e domingos (19h)
Quanto: R$ 30 e R$ 15 (meia entrada)


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas