Música Com Gerlane Lops e Belo Xis, Baile Municipal abre alas ao samba No palco, homenageados do carnaval recebem os também sambistas Karynna Spinelli, Nego Thor, Luiza Peróla, Wellington do Pandeiro e Orquestra Recife de Bambas

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/02/2019 15:31 Atualizado em: 23/02/2019 15:24

Foto: Andrea Rego Barros/Divulgação
Foto: Andrea Rego Barros/Divulgação

A prévia carnavalesca mais tradicional do Recife abrirá um espaço maior ao samba em sua 55ª edição, realizada amanhã, a partir das 22h, no Classic Hall (Avenida Agamenon Magalhães, s/n, Salgadinho). A forte presença de cavacos, pandeiros e tamborins é uma consequência natural dos atuais homenageados do Carnaval do Recife: Gerlane Lops e Belo Xis, que receberão outros representantes do ritmo - Karynna Spinelli, Nego Thor, Luiza Peróla, Wellington do Pandeiro e Orquestra Recife de Bambas. Será uma grande roda de samba em um evento que historicamente ressaltou o frevo.

Todavia, os sopros e percussão do ritmo “mais pernambucano que há” segue representado pelos maestros Spok e Forró, além de Elba Ramalho, Nena Queiroga, André Rio, Almir Rouche e Gustavo Travassos e Coral Edgard Moraes. A paraense Gaby Amarantos, figurinha marcada no polo do Marco Zero há alguns anos, desta vez transporta seu tecnobrega ao tradicional baile. O evento ainda receberá o Rei e a Rainha do Carnaval do Recife: Henrique Silva e Maria Lucrécia, que venceram o concurso realizado no Pátio de São Pedro no último dia 15. Os artistas do samba se apresentam em um horário mediano do evento, entre o Maestro Forró e Spok.

“Os bailes tradicionais do Recife, que em sua maioria acabaram, costumavam dar espaço às escolas de samba. Isso foi se perdendo, restando alguns grupos ativos no carnaval, como Patusco e D’Brek. Mas não no palco, e sim no chão. Agora, estamos levando o samba de volta ao palco. É um bom ponto de partida para melhorar cada vez mais”, conta Gerlane Lops. “Vamos aproveitar essa homenagem para fazer algo diferente. Existem arranjos especiais para todos os convidados”, continua a artista, destacando que entre as surpresas da noite está MC Bruninho, criança de 11 anos que retorna de São Paulo para cantar sucessos como Jogo do amor e Sou favela.

Os cinco convidados dos homenageados nunca se apresentaram no Baile Municipal antes, incluindo a Orquestra Recife de Bambas, iniciada por Gerlane há três anos para fortalecer a cena do samba na capital. Atualmente com direção musical de Rubens França, arranjos de Parrô Melo e uma equipe com mais de quinze instrumentistas, o projeto foi lançado no carnaval de 2016 no palco do Marco Zero, em celebração aos 100 anos do samba. A aceitação do público fez a Prefeitura do Recife repetir as apresentações nos carnavais de 2017 e 2018.

Desde então, vários sambistas locais tiveram a oportunidade de estrear no maior palco do carnaval, a exemplo de Ramos Silva, Andreia Luiza, Luísa Pérola, Telmo Santiago, Gabi do Carmo, Helena Cristina e Leide do Banjo. “Tive uma orquestra de frevo por 18 anos e trouxe minha experiência ao samba. A ideia é dividir a orquestra entre os artistas para que a gente possa dar vigor ao samba. Junto todos ficam mais fortes”, conclui a artista, que vai reverenciar Carmem Miranda através de sua roupa.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas