Música Produtores mergulham a música popular pernambucana em elementos digitais O projeto Novos Caminhos da Performance em Música no Estado de Pernambuco, do duo Pachka, terá estreia no Portomídia

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 07/02/2019 09:00 Atualizado em:

Foto: Felipe Schuler/Divulgação
Foto: Felipe Schuler/Divulgação

Imersões na música popular pernambucana com elementos da cultura digital contemporânea. Esse é principal mote da nova iniciativa da dupla Pachka - formada pelos produtores musicais pernambucanos Tomás Brandão e Miguel Mendes. A estreia do projeto será nesta quinta-feira (7), a partir das 19h30, com uma apresentação na Galeria de Artes Digitais do Portomídia (Rua do Apolo, 235, Bairro do Recife). A performance lida com a memória do som através de gravações antigas de frevo, xote e ciranda, mas que serão transformadas digitalmente. Esta primeira edição contará com participação do duo Henrique Albino e Surama Ramos. A entrada é gratuita.

Com incentivo do Funcultura, o projeto de pesquisa Novos caminhos da performance em música no Estado de Pernambuco surgiu justamente com a ideia de investigar a conexão dos artistas de Pernambuco com a tecnologia. "Queríamos entender o uso da tecnologia como uma forma de alcançar possibilidades de performance ao vivo que não sabíamos que eram possíveis. O interesse da gente era desbravar as possibilidade desconhecidas de combinar sonoridades e gestos, tudo na frente do público e com equipamentos que conseguíamos ter acesso”, explica Miguel Mendes, em comunicado enviando à imprensa.

"Queríamos entender o que as pessoas entendem que a tecnologia pode fazer por elas. Além disso, o porque desse fetiche pela tecnologia que todos nós temos. De alguma maneira, podemos entender uma diversidade enorme de coisas como tecnologia. Um tambor é um recurso tecnológico para a música ao vivo assim como um sampler. Nossa curiosidade agora é como dialogar estas experiências no ambiente da música popular", diz Tomás Brandão. O projeto também contará com vídeos de entrevistas com os artistas convidados, formando um conteúdo informativo sobre o processo de criação e as formas de utilização dos dispositivos utilizados na performance. A tecnologia utilizada também será de baixo custo, de modo que fique mais acessível aos artistas de todo estado. Tudo estará disponível em um site do projeto.

SOBRE O PACHKA
Formado em 2014 por Miguel Mendes e Tomás Brandão, o Pachka produz música em diversas áreas, incluindo shows, espetáculos de teatro e dança, obras audiovisuais e exposições. O duo colaborou, entre outros, com o grupo de teatro Magiluth, o bailarino Dielson Pessoa e o diretor de teatro Moacir Chaves na peça carioca “2500 por hora”. Em 2018, participou da Abertura do Carnaval do Recife a convite do Quinteto Violado desenvolvendo uma narrativa e uma performance musical para representar o que seria um “frevo do futuro”. Também atuaram no Estesia (espetáculo em que alia som e iluminação cênica executada de dentro no palco) e com o Batebit (duo recifense que constrói instrumentos digitais).

SERVIÇO 
Pachka - novos caminhos da performance em música no Estado de Pernambuco apresenta: Henrique Albino e Surama Ramos 
Onde:
Galeria de Artes Digitais do Portomídia (Rua do Apolo, 235, Bairro do Recife) 
Quando: nesta quinta-feira (7)
Quanto: Gratuito


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas