literatura Academia Pernambucana de Letras comemora 118 anos Para celebrar o aniversário, a APL realiza nesta quinta-feira uma sessão solene comemorativa aberta ao público. A ocasião marca a assinatura de um convênio e a entrega do prêmio literário 2018

Por: Mabson Rodrigues - Diario de Pernambuco

Por: Viviane Rocha - Estado de Minas

Publicado em: 24/01/2019 16:10 Atualizado em: 24/01/2019 16:15

A instituição completa 118 anos no dia 26 de janeiro. Foto: Divulgação
A instituição completa 118 anos no dia 26 de janeiro. Foto: Divulgação

Uma instituição centenária, que exala tradição, literatura e história. Considerada um dos maiores patrimônios culturais do estado de Pernambuco, a Academia Pernambucana de Letras (APL) comemora neste no sábado (26), 118 anos de existência e contribuição a população. Para celebrar a data, a organização realiza nesta quinta-feira (24), a partir das 20h, na sede da APL (Avenida Rui Barbosa, 1596, Graças), uma sessão solene comemorativa aberta ao público. A ocasião marca a entrega dos prêmios da edição 2018 do Concurso Literário e a assinatura do convênio com a TV Escola para a utilização de materiais produzidos pela emissora.   

Para a presidente da Academia Pernambucana de Letras, Margarida Cantarelli, o aniversário é uma representação de realização e conquista, pois simboliza os mais de 100 anos de contribuição para a sociedade. "São 118 anos de colaboração e preservação da história e da literatura pernambucana. O foco é chamar a atenção da sociedade, principalmente dos jovens e adolescentes a ingressarem cada vez mais na esfera literária, a fim de enriquecer conhecimento da população. Sem dúvidas, é muito gratificante estar à frente de uma instituição tão construtiva, que contribui diariamente para a formação das pessoas", afirmou.

História 

Fundada em 1901 por um grupo de idealistas, liderados pelo escritor Carneiro Vilela, a Academia Pernambucana de Letras foi a terceira organização criada no Brasil, a cumprir os padrões estabelecidos pela Academia Francesa. Componente importante da história e da cultura de Pernambuco, a instituição abriga atualmente diversas áreas e espaços voltados para a literatura e arte, entre elas um museu inaugurado em novembro do ano passado com obras raras e fotográficas históricas do século 19 e a Biblioteca Waldemar Lopes uma das mais completas do Recife. Com um acervo estimado em aproximadamente 30.000 exemplares, resultado de doações de intelectuais do Recife, do Brasil e do exterior, a entidade possui peças de todas as áreas do conhecimento, tais como filosofia, religião, biografias, ciências sociais, naturais e aplicadas, entre elas a versão portuguesa de 1887, da obra Divina Comédia, de Dante Alighieri. O espaço abrange  ainda uma coleção dos dicionários dos mais variados gêneros, pinacoteca com obras de pintores como Vicente do Rego Monteiro, Zuleno, Marly Mota, Teles Júnior e Mario Nunes, além da sala dos saraus, com quadros dos ex-presidentes da academia. 

Prezando pela inovação e inclusão tecnológica, a organização tem realizado uma série de atividades e itens voltados para a cultura, arte e educação. A entidade tem produzido projetos como o programa de música da academia, a revista anual com um apurado sobre os acontecimentos da instituição, acervo eletrônico e ainda um jornal online com diversas poesias de vários poetas brasileiros. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas