Cérebro HQs de pernambucano na Comic Con Experience Eron lança segunda edição da obra com ilustrações de Carlos Eduardo Cunha

Por: Caio Ponciano

Publicado em: 06/12/2018 10:20 Atualizado em:

Foto: Yuri Max/Divulgação
Foto: Yuri Max/Divulgação
A série de HQs Cérebro, do roteirista e escritor pernambucano Eron Villar, vai ganhar uma segunda edição, com lançamento a partir de hoje, na Comic Con Experience (CCXP), que acontece em São Paulo até o domingo. O novo episódio ganhou o nome de Paralelas e traz ilustrações de Carlos Eduardo Cunha. Segundo o autor, a ideia da série existe desde suas primeiras investidas como roteirista, ainda na adolescência. “A inspiração, além dos heróis dos quadrinhos, vinha das séries de TV da década de 1980, como Homem de seis milhões de dólares, Super máquina, Anos da lei etc.”, conta Villar, que apesar de ter ido para o teatro, a paixão pela nona arte persistiu. 

Foi a partir de um reencontro com o renomado quadrinista Thony Silas, que o pernambucano retomou o desejo de publicar. “Começamos por A noiva, série em homenagem ao bicentenário da Revolução pernambucana de 1817, que teve excelente repercussão. Depois, tomei a coragem de publicar o Cérebro e convidei Carlos Eduardo Cunha, que topou a empreitada”, relembra. A nova trama da série se passa no Recife em um futuro fictício, com cenários da cidade que são revelados aos poucos nas artes da HQ. Em entrevista ao Viver, o roteirista adiantou que o novo roteiro está mais maduro, com uma arte mais precisa e fluida. “Vamos sendo apresentados aos poucos ao projeto Cérebro e aos seus personagens, o que, ao menos para mim, causa uma enorme empatia. Trazemos também algumas reflexões pessoais das personagens que me deixam com umas pulguinhas atrás da orelha.”

Embora seja alta a expectativa para levar o trabalho a um dos maiores eventos de cultura pop do Brasil, Eron Villar acredita que vai se sentir em casa por ser um dos quase 20 artistas pernambucanos que estarão presentes na CCXP. Ele afirma que fazer parte desta comitiva é motivo de muito orgulho e satisfação. “Apesar de o trabalho ser ainda muito árduo para o produtor independente, a consistência dos trabalhos que saem de Pernambuco já começou a ser reconhecida. Além de mostrar o trabalho, queremos fazer muitas conexões”, pretende. A obra estará disponível no evento até o próximo domingo, por R$ 20.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas