Música Passa Disco comemora 15 anos sendo resistência dos discos físicos no Recife No evento de aniversário, será lançado Arrisque!, nova coletânea da casa composta por nomes como Almério, Aninha Martins, Barro, Sofia Freire e Romero Ferro

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/11/2018 15:29 Atualizado em:

Fábio Cabral de Mello é o proprietário do estabelecimento. Foto: Leo Malafaia/Esp. DP
Fábio Cabral de Mello é o proprietário do estabelecimento. Foto: Leo Malafaia/Esp. DP


Em tempos em que o consumo da música passou por um processo de "desmaterialização", a loja Passa Disco (Rua da Hora, 345, Espinheiro) tem sido um antro de resistência na valorização dos discos físicos no Recife. Capitaneada por Fábio Cabral de Mello desde 2003, o espaço completa 15 anos nesta quarta-feira (28), com um evento a partir das 20h, reunindo amigos da casa, nomes da cena musical pernambucana e consumidores que, mesmo na era do streaming, se deslocam para esse estabelecimento como quem vai em uma galeria comprar pinturas. "Podemos dizer que o disco físico virou uma obra de arte", reflete o proprietário.

Na ocasião, será lançado o Arrisque!, nova coletânea da casa composta por 18 faixas interpretadas por nomes como Almério, Aninha Martins, Barro, Flaira Ferro, Sofia Freire, Romero Ferro, entre outros artistas contemporâneos à loja. A festa contará com pocket show com alguns dos integrantes do CD, além dos convidados Juliano Holanda e Lucas dos Prazeres. Também haverá a posse de Joel Datz na Academia Passa Disco da Música Nordestina. A entrada é gratuita.

HISTÓRIA
Os primeiros contatos de Fábio com músicos surgiram quando ele foi um dos sócios do bar Rei do Cangaço, em Casa Forte. “Começamos a receber cantores que deixavam CDs para vendermos. Foi se criando um ciclo de amizade”, relembra. Durante coletiva do lançamento do disco Micróbio do frevo, de Silvério Pessoa, Mello soube através da jornalista Michelle Assumpção (na época repórter do Diario) que o estado estava vivendo um momento prolífico no lançamento de CDs. Foi naquele momento que nasceu a ideia para a Passa Disco. “Costumo dizer que o ‘micróbio’ da música estava no álbum do Silvério, mas quem saiu contaminado fui eu”, brinca Fábio. 

A loja foi inaugurada no bairro do Parnamirim - onde ficou até setembro de 2017 - como parte da galeria Shopping Sítio Trindade. Ao passar dos anos, foi se tornando um dos espaços mais requisitados para lançamentos de CDs, DVDs e livros de artistas locais, criando algumas pequenas tradições que ajudaram a criar uma certa identidade de “celeiro da música pernambucana”. Um exemplo é a Academia Passa Disco da Música Nordestina. Os homenageados podem optar por um patrono (compositores e cantores nordestinos). Joel, homenageado desta quarta, foi eleito por ser um divulgador natural da arte local. “Faz mais de 30 anos que ele está presente em muitas vernissages e lançamentos”, justifica Fábio.

COLETÂNEA
Fábio Cabral de Mello com o disco Arrisque!, coletânea com artistas locais. Foto: Leo Malafaia/Esp. DP
Fábio Cabral de Mello com o disco Arrisque!, coletânea com artistas locais. Foto: Leo Malafaia/Esp. DP
Também ajudou a fortalecer uma relação afetiva com o público o lançamento das coletâneas Pernambuco cantando para o mundo (vol. 1, 2 e 3), Pernambuco forrozando para o mundo e Pernambuco frevando para o mundo. Os discos trouxeram novas interpretações de canções nas vozes de figuras renomadas da música, a exemplo Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Lula Queiroga e Maciel Melo.
O Arrisque!, inclusive, é como um “quarto volume” desta série de coletâneas.

"Esse disco é completamente diferente dos outros, pois antes pegávamos nomes tradicionais e agora partimos exatamente para o novo, com artistas que surgiram nesses últimos 15 anos.” Projeto Sal, Lara Klaus, Zé Manoel, Torre, Amaro Freitas, Marsa, Tibério Azul, Bruno Souto, Kalouv, Isadora Melo e Júlio Ferraz são outros nomes que completam o time dessa “geração” selecionada por Fábio para integrar o repertório do trabalho, finalizado no Gusdel Estúdio e com projeto gráfico assinado por João Lin.

DESAFIOS
Fábio Cabral de Mello é o proprietário do estabelecimento.Foto: Leo Malafaia/Esp. DP
Fábio Cabral de Mello é o proprietário do estabelecimento.Foto: Leo Malafaia/Esp. DP

Quando Fábio inaugurou a Passa Disco, em 2003, esse tipo de empreendimento já estava em declínio. O compartilhamento pela internet já era uma realidade. No Recife, ambulantes circulavam com caixas de som para vender CDs e DVDs piratas. Em 2016, uma pesquisa da Pró-Música Brasil revelou que houve uma queda de 46% nas vendas de CDs em relação ao ano anterior. "Acredito que a Passa Disco não tenha sido diretamente atingida por esse fenômeno, porque eu já sabia que não iria ser nada maravilhoso”, admite Fábio. 

"Claro que, em algum momento, as coisas ficaram  mais difíceis. A gratuidade da música é irresistível, então sempre encontro alguma adversidade. Mas, em compensação, a loja ficou mais  conhecida, e também tem o site que criei." A passadisco.com.br vende produtos para todo o país. "Vendemos principalmente para capitais do Nordeste, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, 70% das vendas são de discos pernambucanos". O catálogo da loja também conta com lançamentos nacionais e algumas raridades vendidas apenas pessoalmente. 

"Como são produtos antigos, gosto de que o cliente avalie o estado  antes de comprar". Nesses 15 anos, os discos mais procurados foram Olho de peixe (1993), de Lenine, Da lama ao caos (1994) e Afrociberdelia (1996), ambos de Chico Science e Nação Zumbi. São requisitados até hoje.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas