TV Anitta revela detalhes da vida pessoal em série documental da Netflix Cotidiano da vida da cantora é tema da série Vai Anitta

Por: Adriana Izel - Correio Web

Publicado em: 16/11/2018 09:01 Atualizado em:

Além dos aspectos mais profissionais, Vai Anitta explora questões da vida pessoal da artista. Foto: Netflix/Divulgação
Além dos aspectos mais profissionais, Vai Anitta explora questões da vida pessoal da artista. Foto: Netflix/Divulgação

Larissa de Macedo Machado, esse é o nome de batismo da maior estrela atual da música brasileira. Mais conhecida como Anitta, a artista atingiu tudo e mais um pouco nos últimos anos. A carioca, que começou nos bailes funks da Furacão 2000, chegou a um patamar talvez nunca antes alcançado por artistas brasileiros, sendo reconhecida internacionalmente com hits em inglês e em espanhol que fazem sucesso Brasil e mundo afora.

Apesar de parecer uma trajetória meteórica, já que Anitta tem apenas 25 anos e o “boom” da carreira ocorreu há cinco anos com o sucesso de Show das poderosas, a artista galgou tudo isso com muito trabalho. E é um pouco desse cotidiano que é compartilhado na docussérie Vai Anitta, que estreia nesta sexta-feira 16) no catálogo do serviço de streaming Netflix. Com seis episódios, a produção compartilha com o espectador parte da história da brasileira que saiu de uma favela do Rio de Janeiro para alçar voos pelo mundo.

Vai Anitta tem o projeto Check Mate, que deu origem ao lançamento das músicas Will I see you (com Poo Bear), Is that for me (parceria com Alesso), Downtown (gravado com J. Balvin) e Vai malandra (com Tropkillaz e Yuri Martins) como ponto de partida. É a partir do processo de concepção e gravação da iniciativa que é montada a narrativa de Vai Anitta. “A gente vai falar um pouco da minha vida, como sou, um pouco do meu início, mas é bem focado em Check Mate. É muito uma apresentação do que rola na minha carreira”, afirma a cantora.

A escolha exatamente por esse momento também é explicada pela artista: “Esse projeto foi o principal para começar minha carreira internacional. Foi com o Check Mate que tudo fora do Brasil começou a acontecer. Então é da importância desse projeto que a gente vai falar nessa temporada”. Afinal de contas, o projeto rendeu parcerias internacionais e um reconhecimento mundial, em que Anitta venceu prêmios e apareceu em programas fora do Brasil.

E, apesar de Check Mate ser o foco principal, nos seis episódios Anitta compartilha diferentes aspectos da carreira iniciada como uma das funkeiras da Furacão 2000, empresa que promovia bailes, programa de televisão e agenciava artistas do gênero no Rio de Janeiro. “A gente fez muito essa série pensando em me apresentar. Como eu disse, numa primeira temporada, a gente sempre pensa em que mostrar, no que falar. É bem difícil. Eu só tenho 25 anos, mas já aconteceu tanta coisa. Com o presente, a gente tem a narrativa do Check Mate, mas aproveita para ir apresentando e salpicando algumas informações da minha vida, do meu passado, sem entregar demais para ter uma expectativa para uma próxima (temporada)”, diz.

O início da carreira de Anitta ganha espaço na produção tendo em vista o público dos mais de 100 países aos quais a Netflix tem catálogo. “Ao mesmo tempo que aqui no Brasil muita gente que já conhece sobre mim, tem muita coisa que vai ser muito óbvia quando assistirem, a série é uma apresentação de quem eu sou para as pessoas que nunca me viram também. Esse foi o grande desafio, a gente fazer para o Brasil, que já me conhece e acompanha minha carreira há um tempo, mas também me apresentar para as pessoas que nunca ouviram falar de mim na vida. Mas tem novidade para a galera do Brasil, que é óbvio, é o público principal”, completa.

Vida pessoal
Além dos aspectos mais profissionais, Vai Anitta explora questões da vida pessoal da artista, como a depressão, o dia a dia com o agora ex-marido Tiago Magalhães e os momentos ao lado da família. Anitta conta que fez questão de mostrar tudo. “Sou completamente desapegada de tudo. Para mim, o cara filma o que ele quiser. Teve até alguns momentos que dei miniesporros e eles vão estar na série. Eu falava: “é pra filmar tudo!” Não estabeleci limite nenhum. E mais para o final a galera foi pegando mais intimidade comigo e entendendo (os momentos para filmagem). Tem algumas coisas que vocês não veem na minha vida e vão ver na série com certeza”, adianta.
 
Um dos pontos que deve chamar a atenção dos espectadores é exatamente a parte da docussérie que aborda a depressão da cantora, já que a doença não havia sido exposta anteriormente. “A gente aborda um pouquinho superficial, porque na época eu não conseguia filmar. Não conseguia ter gente perto de mim o tempo inteiro. Então eu falo um pouquinho sobre isso, porque as pessoas têm essa expectativa que por ser famoso e ter sucesso, a gente está sempre feliz. Falo disso. Eu falo um pouco sobre o que comecei a pensar para conseguir caminhar e ter um tempo pra mim. Explico o motivo de ter ficado assim, então não é tão aprofundado, justamente pelo fato de não ter tido câmeras por perto”, revela a cantora.

Com cinco anos de exposição constante, Anitta fala que já está acostumada com isso e que o faz nas redes sociais. Para ela, o importante é sempre conseguir dividir quem é a artista e quem é a pessoa, ou seja, quem é Anitta e quem é Larissa. “Eu fiz uma escolha na minha vida, não tem como voltar atrás. Eu sou bem resolvida, faço muito essa separação de quem sou como pessoa e quem sou como artista. Tento separar na minha cabeça para poder ficar bem comigo mesma. Não tenho essa preocupação e até gosto (da exposição)”, revela.

Formato
Anitta ainda falou do formato. Em Vai Anitta, a produção mistura aspectos de reality show e de documentário. “Eu queria que fosse um meio termo entre um reality e uma doc. Um meio termo entre o divertido e o sério. Nós brasileiros somos um pouco diferentes na maneira de contar história, de abrir essas coisas. Quando eu conto as coisas da minha vida, eu falo de coisas pessoais, coisas que quando a gente vê internacionalmente, as pessoas não abrem tanto. A gente fala de tudo um pouco, vai do íntimo ao mais sério. Não queria que fosse nem muito ao trabalho, nem muito a vida pessoal. Tem um saborzinho de cada coisa”, acrescenta.

A vontade de expor ainda mais do dia a dia fez com que Anitta quisesse que a produção tivesse mais episódios, em vez dos seis que terão na primeira temporada. “Eu queria que fossem 10 episódios de uma hora, porque eu sou bem faladora e quero ficar contando e mostrando, mas tem todo um estudo de quanto tempo as pessoas costumam assistir, quantos minutos costuma ter êxito. Foi uma grande matemática”, lembra.

A cantora também tem torcido e feito propaganda para que Vai Anitta possa ter pelo mais duas temporadas na Netflix. “Já deixei um gostinho para a galera querer ver mais e fazer uma pressão. Já estou até filmando, tem uma pessoa andando comigo 24 horas. Eu vou no banheiro, ele filma. Eu saio, ele filma”, conta.

Carreira
Ao mesmo tempo em que lança Vai Anitta, a cantora ainda colhe os frutos do mais recente trabalho, o EP Solo, formado por uma música em português, Não perco meu tempo; uma em espanhol, Veneno; e outra em inglês, Goals, essa composta pelo cantor e produtor Pharrell Williams. “Esse meu último lançamento foi muito uma necessidade de ter material em outro idioma para essas pessoas que já estão buscando mais sobre mim. Pro público popular, o mercado latino está muito bacana, bem grande. O inglês é uma coisa que tá começando agora. Mas, aos poucos, a gente vai conquistando. Essa série mostra o primeiro passo que dei para o impulsionamento para que as coisas chegassem nesse nível”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas