LANÇAMENTO Um nó para se desatar: Jornalista Sebastião Araújo lança livro nesta terça no Recife Jornalista usou episódios que marcaram a própria vida para exorcizar o sentimento por meio da escrita e lançar o livro Desamor

Por: Anamaria Nascimento

Publicado em: 12/11/2018 13:18 Atualizado em: 12/11/2018 13:35

Foto: Marina Curcio/Esp.DP (Foto: Marina Curcio/Esp.DP)
Foto: Marina Curcio/Esp.DP
A cada duas horas, uma mulher é morta violentamente no Brasil. A maioria dos assassinatos é cometida por homens que convivem com a vítima. Muitas vezes, pelas mãos do próprio companheiro. Nos boletins de ocorrência, os atos eram registrados como crimes passionais. A associação desses crimes à paixão e ao amor nos casos que colocam o Brasil na quinta posição mundial em relação à taxa de feminicídios foi um dos motivos para que o jornalista Sebastião Araújo tirasse da gaveta textos escritos entre 2013 e 2015. O material foi editado e transformado no livro Desamor: um nó para se desatar, que será lançado nesta terça-feira, às 19h, na Torre Malakoff, Bairro do Recife.

“Não se mata por amor, mas por desamor. Ninguém tira a vida de uma pessoa gostando dela”, afirma o escritor. Ele usou os episódios de desamor que marcaram a própria vida, desde a infância, para exorcizar o sentimento por meio da escrita. “A ausência de amor me marcou antes mesmo do meu nascimento. Minha mãe me rejeitou desde a barriga, pois descobriu a gestação na mesma época em que soube de uma traição do meu pai. Depois, na vida adulta, vivi um relacionamento abusivo. Os textos foram escritos nesse período da relação.”

Durante dois anos, na época em que a relação violenta chegou ao fim, escrever foi a forma encontrada pelo escritor para lidar com os sentimentos. Colocando as dores no papel, as experiências eram ressignificadas. Descrever a situação ajudou no processo de reestruturação do trauma e a, finalmente, superá-lo. “Meu leitor imaginado é alguém como eu, vítima do desamor. E essa vítima pode ser alguém que também praticou o desamor com outro. Percebo que a trajetória desses também é marcada pela falta de amor, ou seja, é um ciclo”, diz Sebá.

O livro, já lançado nas cidades de Triunfo e Afogados da Ingazeira, Sertão do estado, chega ao Recife no evento onde a obra será comercializada com preço promocional (R$ 30). Em entrevista ao Diario, o jornalista nascido em Paulista, Região Metropolitana do Recife, com mais de 40 anos de carreira e passagens como repórter especial e editor nos principais veículos impressos de Pernambuco, falou sobre temas abordados no trabalho.

Assuntos abordados na obra

FEMINICÍDIO

"O número de feminicídios aumentou, e os companheiros alegam que mataram por amor. Não é. É desamor. Não se mata uma pessoa por gostar, por querer. Mata por uma cobiça excessiva, por questões de gênero, por querer como propriedade. O desejo de controle sobre o outro, o desamor, leva a isso. Não é um apaixonado que cometeu um crime. É um homicida."

RELACIONAMENTOs ABUSIVOs

"Passei sete anos em um relacionamento abusivo, que terminou em 2015. A relação acabou quando parei de escrever para o blog. Até porque não fazia mais sentido. Fui exorcizando por meio dos textos até fazer isso de forma definitiva. Eu desatei o nó, que é muito difícil e que grande parte das pessoas que vivem numa relação assim não conseguem. A escrita me ajudou nesse processo. Essa foi a minha salvação."

ILUSÃO

"Diante de um histórico de desamor e carência, você coloca o outro em um pedestal. Delega a ele o poder de controlar a sua vida, do altar que você construiu para ele. E, então, você nunca consegue chegar nesse lugar. O outro pensa por um, enquanto você pensa por dois. Isso esvai o seu sentimento. O outro invade a sua vida e leva o que você tem de melhor afetivamente."

DESAMOR

"O desamor existe desde que o mundo é mundo. Ele aparece de várias formas, desde a infância até a vida adulta. O bullying é um exemplo de desamor. A criança agride porque não aceita o outro, não ama o outro. O desamor nasce na infância. Não sou nenhum estudioso e não há cientificismo no que escrevo. Escrevi a partir de situações que vivi e relatei ou li enquanto jornalista."

MORTE

"A morte do meu filho (Alex Brassan, que faleceu em 2017, aos 28 anos, em decorrência de problemas cardíacos) foi outro processo que precisei superar e que me motivou a tirar esse projeto do papel. Ele fez a parte gráfica do livro. Já estava trabalhando nisso há um tempo. Depois da morte, decidi fazer o lançamento também para homenageá-lo."

MEDO

"O temor de perder o outro faz com que o desamor se perpetue. Você vai ficando na relação com medo de estar sozinho, com medo de viver longe do outro. É preciso coragem para quebrar esse ciclo."

Serviço

Lançamento do livro Desamor: um nó para se desatar, de Sebastião Araújo
Quando: terça-feira, 19h
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal, s/n, Bairro do Recife)
Preço do livro: R$ 30




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas