TV Luke Perry, de Barrados no Baile, comenta impacto das redes sociais na televisão Atualmente em Riverdale, ator que ganhou destaque nos anos 1990 fala sobre as diferenças entre o passado e o período atual

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 14/10/2018 10:40 Atualizado em: 14/10/2018 10:30

Atualmente, ator pode ser visto em Riverdale, no papel de Fred Andrews, pai do protagonista Archie (K.J. Apa). Foto: Breno Pessoa/DP
Atualmente, ator pode ser visto em Riverdale, no papel de Fred Andrews, pai do protagonista Archie (K.J. Apa). Foto: Breno Pessoa/DP

Nova York - Lembrado pelo papel de Dylan McKay em Barrados no Baile e hoje no elenco de outro sucesso entre o público adolescente, a série Riverdale, o ator Luke Perry enxerga que as mudanças tecnológicas mudaram de forma decisiva a maneira como as atrações televisivas são assimiladas pelo público. "Essa é a diferença", diz Perry apontando para seu smartphone, durante entrevista na New York Comic Con, pouco após participar de painel sobre o programa, atualmente na terceira temporada, em exibição na Warner Channel. "E não falo sobre o fato de podermos fazer ligações com mais facilidade, mas sobre as redes sociais e o impacto que elas têm não só para os personagens, mas para os atores", acrescenta.

"Os celulares estavam apenas começando a se popularizar quando Barrados no baile chegava ao fim”, recorda. "Tudo acontece tão rápido e dita como as coisas serão", diz, sobre o feedback imediato das audiências durante a exibição dos programas. Ele também acredita que isso também interfere da curva de popularidade das séries, tornando mais rápido o sucesso das atrações.

"Um dia desses me perguntaram se eu considerava esta a era de ouro da televisão", recorda Perry. “Para mim, a era de ouro foi dos anos 1950 aos 1980. Estamos na era do lítio", brinca, em menção ao componente das baterias dos smartphones. "Porque tudo é consumido nos dispositivos móveis", ressalta.

"Quando eu comecei na TV, aquilo (o televisor) era o único lugar e se eu não estivesse lá na hora para ver o meu programa, eu o perdia", afirma. "Aquilo era importante para mim. E acho que não é mais assim agora, é apenas mais uma entre a centena de coisas de você pode acompanhar pelo celular", observa.

*O repórter viajou a convite do Warner Channel

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas