Televisão Terceira temporada de Riverdale estreia no Brasil simultaneamente com os EUA Série inspiradas nos quadrinhos vai ao ar às quartas-feiras, às 21h40

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 10/10/2018 20:20 Atualizado em: 10/10/2018 20:38

Novos episódios irão mostrar Archie (K.J. Apa) enfrentando julgamento por assassinato que não cometeu. Foto: Warner Bros./Divulgação
Novos episódios irão mostrar Archie (K.J. Apa) enfrentando julgamento por assassinato que não cometeu. Foto: Warner Bros./Divulgação

Nova York – Provavelmente uma das séries televisivas baseadas em quadrinhos que mais subverteu os conceitos vistos em sua fonte de inspiração - as ingênuas HQs norte-americanas do clássico personagem Archie -, Riverdale estreia sua terceira temporada hoje, às 21h40, no canal pago Warner. O novo ano da produção chega ao Brasil simultaneamente com os EUA, sempre às quartas-feiras.

Se em um primeiro momento pareceu inusitada a guinada sombria que o show apresentou em relação aos quadrinhos, Riverdale vem se saindo uma agradável mescla de drama adolescente com histórias criminais e uma dose de elementos sobrenaturais. No domingo, após apresentar ao público da New York Comic Con algumas novidades sobre a nova temporada da série, o elenco e showrunner Roberto Aguirre-Sacasa conversaram com a imprensa.

O protagonista K.J. Apa (Archie) promete um acontecimento dramático para seu personagem no decorrer do terceiro ano. "Sem revelar qualquer coisa, tem algo que ocorre com Archie no nono episódio que simplesmente não acreditei quando li o roteiro. Só posso dizer que ele estará sozinho e envolve um animal", despista.

Aliás, esse isolamento deverá ser a tônica dos próximos episódios, já que o novo ano começa com Archie preso, tentando provar sua inocência após ser acusado de assassinato. Isso deverá mudar a dinâmica entre os outros protagonistas, já que o protagonista até agora funcionou como elo do núcleo principal de Riverdale. "Todos estarão lidando com suas próprias coisas", reforça K.J. Apa, acrescentando que "Archie estará separado de todo mundo".

Quem também deve passar por maus bocados na trama é Betty (Lili Reinhart). “Parece que essa garota sempre pode ficar ainda mais traumatizada”, brinca a atriz sobre o personagem, cujo pai Hal Cooper (Lochlyn Munro) se revelou um assassino serial. "Mas ela sempre supera tudo, o que é muito interessante e inspirador", acrescenta Reinhart, definindo Betty como "durona".

Enquanto a segunda temporada teve um episódio musical inspirado no filme Carrie, a estranha (1976), desta vez o capítulo especial vai ser um flashback, com o elenco jovem interpretando os pais de seus personagens. O especial também terá inspiração cinematográfica em O clube dos cinco (1985). No entanto, é possível que os alunos da Riverdale High School voltem a cantar futuramente. "Eu ficaria surpreso se não houvesse um episódio musical, considerando o sucesso que tivemos entre os fãs. Eu amo o episódio musical", pontua K.J. Apa, sem deixar claro se isso pode ocorrer ainda no terceiro ano.

Apesar da expectativa, também não há nada confirmado sobre um crossover com a série-irmã de Riverdale, O mundo sombrio de Sabrina, inspirada na personagem da Archie Comics. Também criada pelo showrunner Roberto Aguirre-Sacasa, a produção será distribuída pela Netflix, com estreia em 26 de outubro. O serviço de streaming também exibe Riverdale e irá disponibilizar a segunda temporada a partir desta quinta-feira (11).

[Entrevista // Roberto Aguirre-Sacasa

O que podemos esperar para esta nova temporada de Riverdale?
Acho que será um retorno à atmosfera da primeira temporada. Não teremos um serial killer ou algo assim, é mais uma trama de mistério. E estamos também investindo mais nas relações entre os personagens. Vamos mostrar mais os garotos como alunos do ensino médio, algo que nem sempre fazemos. A cada ano aprendemos mais e vemos o que funciona bem ou não e tentamos fazer o show seguir em frente.

A cada ano a série parece apostar em gêneros diferentes. Como você define o show?
Nos tornamos uma série criminal a partir do décimo-segundo episódio da primeira temporada, quando F.P. (Skeet Ulrich) atira em Jason (Trevor Stines). Depois, introduzimos coisas mais inusitadas, como as Serpentes, e foi como se fosse um programa sobre gangues. Aos poucos, vamos encontrando o DNA do programa. E agora temos o Rei Gárgula, que é algo parecido com a lenda urbana do Slenderman. Estamos incluindo esses elementos malucos e também outros análogos com a vida real.

Qual impacto que a prisão terá em Archie?
Archie está em julgamento, acusado de um assassinato que ele não cometeu. E aproveitamos essa situação para colocar o personagem em um julgamento próprio. Porque, independentemente de ele não ter cometido esse crime, ele fez várias coisas erradas, virou-se contra o pai, virou-se contra seus amigos etc. Estamos usando essa história para examinar o personagem, para que ele reflita se é um bom homem ou não e, de alguma maneira, também pague por seus equívocos.

O fim da segunda temporada parece ter sido um ponto de virada para Hiran Lodge (Mark Consuelos). Que peso ele terá nos novos episódios?
Na segunda temporada, vimos Hiran sendo um tanto vilanesco, mas escondendo isso de algumas pessoas e atuando nas sombras, manipulando. E, agora, no terceiro ano, ele é o vilão, uma espécie de rei do crime e todo mundo sabe disso, mas ele é intocável. Ele continua obcecado em destruir Archie e mantê-lo separado de Veronica. O repórter viajou a convite do Warner Channel

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas