Despedida Corpo de Graça Araújo é cremado no fim da tarde deste domingo Antes, o caixão seguiu em cortejo pelo Cemitério Morada da Paz, sob aplausos de uma multidão emocionada

Publicado em: 09/09/2018 17:06 Atualizado em:

 (Foto: Alice Souza/DP.)

Por volta das 16h deste domingo (9), o caixão de Graça Araújo foi fechado. Sob aplausos da multidão emocionada, o corpo saiu em cortejo pelo cemitério Morada da Paz, com a bandeira de Pernambuco assinada pelos amigos de corrida e outra bandeira do grupo de corrida Corpore Sano, do qual ela fazia parte. O corpo seguiu para o crematório, onde houve uma cerimônia íntima para os amigos e os familiares.

No local, foi transmitido um vídeo contando a trajetória de Graça. A cerimônia comovente durou cerca de 30 minutos. O caixão foi fechado e houve uma chuva de pétalas de rosas no ambiente. O velório da jornalista e apresentadora pernambucana teve início às 19h desse sábado (8) no Cemitério Morada da Paz. 

A apresentadora do TV Jornal Meio-Dia, deu entrada no Hospital Esperança, no Recife, por volta das 19h da quinta-feira (6), após passar mal em uma academia de ginástica no bairro de Boa Viagem.

O personal trainer de Graça Araújo, Pedro Henrique, que estava ao lado dela quando ela passou mal, diz que o que aconteceu foi algo inacreditável. "Era o último exercício de um treino leve dos membros superiores porque ela disse que não estava em um dia bom, que estava preocupada com a política. Estava ouvindo rádio o tempo inteiro. De repente, ela se levantou, disse que estava passando mal e já caiu. Fizemos os primeiros socorros, mas ela teve uma parada cardíaca, reanimamos, o Samu chegou e eu fui na ambulância com ela. No caminho ela teve outra parada e no hospital outra", relata. 

Segundo o profissional, Graça Araujo realizava os treinos na academia quatro vezes na semana e ainda fazia aulas de boxe e participava de corridas. "Uma pessoa saudável, se alimentava perfeitamente e estava com todas as taxas em dia", enfatiza. 

O amigo e companheiro de corrida, Deco Nonato, também estava no velório e contou da dedicação de Graça Araújo aos treinos. "Ela sempre dizia que corrida era algo libertador. Ela incentivava as pessoas a correr, inclusive. Então, guardamos a dedicação dela em fazer o bem. Há seis anos mais ou menos ela completou a primeira maratona e depois vieram outras. O nosso último treino foi último sábado (dia 1 de setembro) quando corremos do Recife Antigo ao Pina", relata.

A sobrinha e afilhada da jornalista, Yasmim Fernandes Soares, que mora em São Paulo, diz que tinha conversado com a parente recentemente e ouviu que ela estava bem. "Ela me dizia que estava no melhor momento profissional. Que estava muito feliz e plena em todas as esferas da vida. Disse até que pensou em se aposentar mas estavam surgindo oportunidades e ela estava feliz com isso. Nossos planos eram de passar o final de ano juntas", contou. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas