Cinema Ator de A Freira diz ter medo de filmes de terror e conta bastidores da produção Longa-metragem é novo derivado da franquia Invocação do Mal e tem sessões de pré-estreia na quarta-feira (5)

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 03/09/2018 14:04 Atualizado em: 03/09/2018 14:31

Bichir conta que, a despeito da formação católica, não acredita em demônios ou possessões. Foto: Warner Bros./Divulgação
Bichir conta que, a despeito da formação católica, não acredita em demônios ou possessões. Foto: Warner Bros./Divulgação

Cidade do México – Uma das mais populares franquias de terror da atualidade, a série Invocação do mal expande seu universo com mais um filme derivado, A freira, em cartaz esta semana, com sessões de pré-estreia a partir da quarta-feira. Um dos protagonistas do longa, o ator Demián Bichir revela que não é exatamente um fã do gênero. "Eu não sei lidar, eu não gosto de filmes de horror, eu não gosto de pagar para ser assustado", admite o astro, acrescentando ser medroso como "um bebê" quando se trata assistir a uma produção como a que estrelou.

O ator falou sobre os bastidores de A freira, e também comentou sobre suas crenças em relação ao paranormal, durante entrevista realizada Convento Desierto de los Leones, distante15 km do centro da Cidade do México. O local, escolhido para a primeira exibição global para a imprensa, guarda semelhanças com as locações históricas na região da Transilvânia, na Romênia, onde o filme foi gravado. Instalado em uma área de 1,5 hectares, o mosteiro mexicano, embora bem conservado e cercado por bosques, tem aspecto algo lúgubre, principalmente nos longos corredores que conduzem às antigas celas.

Apesar do eventual medo que filmes de terror possam provocar, Bichir se diz um tanto cético quanto ao paranormal. "Eu apenas acredito em coisas tangíveis, que possam ser analisadas", explica o ator. "Não sou uma pessoa religiosa, mas fui criado como católico e aprendi muitas coisas com minha avó, com quem eu costumava ir para a igreja. Ela me ensinou como rezar. A igreja era um lugar interessante, mas eu parei de frequentar. Eu acredito em uma grande e elevada energia que costumamos chamar de Deus. Eu acredito nisso", afirma.

"Eu acredito em energia. E há a energia das pessoas que viveram neste lugar, por exemplo", diz, referindo-se ao antigo convento que serviu de local para as entrevistas. "Você sente isso", diz, acrescentando ter sentido algo similar ao gravar em locações reais na Romênia. "Alguma coisa aconteceu lá".

O ator também comentou sobre como foi feita um das cenas mais angustiantes do filme, em que seu personagem é enterrado vivo (a sequência aparece rapidamente no trailer). "Ah, isso não foi nada! Eu sou o padre Burke", diz, antes de gargalhar. "Eu estava urinando nas calças", acrescenta, em tom de brincadeira, com a voz baixa. "É o tipo de cena que, quando você lê no roteiro, pensa 'espero que eles tenham um bom efeito especial para que eu não precise ficar lá dentro'. Mas, sim, não foi tão difícil, mas foi um pouco estranho", garante.


"Não tenho problema com lugares pequenos, mas ser enterrado vivo é, certamente, um dos maiores pesadelos de qualquer pessoa. Acho que seria mais provável morrer de ataque cardíaco antes de ficar sem ar. Eu quis que fosse realmente algo rápido, entrar e sair. Mas tivemos que fazer três vezes, em três dias diferentes. Fico feliz que eu tenha parecido aterrorizado, porque eu realmente estava", recorda.


*O repórter viajou a convite da Warner Bros.

Confira o teaser do filme:




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas