Música Demi Lovato rejeitou internação semanas antes de overdose A equipe da artista tentou realizar uma intervenção para alertar a cantora dos perigos do excesso

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 27/07/2018 12:41 Atualizado em:

De acordo com a revista People, estado de saúde da cantora já preocupava. Foto: AFP Arquivo
De acordo com a revista People, estado de saúde da cantora já preocupava. Foto: AFP Arquivo


Novas informações sobre o contexto que levaram a cantora Demi Lovato a uma suposta overdose foram divulgadas. O portal norte-americano TMZ confirma que a equipe de Demi tentou realizar uma intervenção para alertar a cantora dos perigos do excesso de consumo de drogas. Os profissionais próximos a ela sugeriram uma internação e Demi recusou.

Ainda de acordo com o portal, ela estava em "um lugar ruim" há semanas. Pessoas próximas a Demi sabiam que algo "não estava bem", mas que a artista tentava fingir normalidade com relação à saúde. O site também aponta o fim da relação profissional de Demi e do empresário de longa data, Phil McIntyre, como um dos motivos para a recaída. Outras fontes defenderam que McIntyre sempre tentou manter Demi longe dos vícios, mas não conseguiu manter a proximidade após o encerramento das atividades profissionais. 

Por outro lado, a revista People apresentou uma fonte anônima que teria aceitado dar entrevista para detalhar o estado de saúde de Demi. De acordo essa fonte, a artista sempre conseguiu esconder  os vícios e não deixava que a carreira fosse afetada. "O problema com o vício dela é que eles eram muito bem escondidos. Ela é uma garota muito inteligente. Ela conseguiu ficar bem para compromissos profissionais. Demi tem que querer ajuda, não podem forçá-la a ficar bem", disse. 

Ainda segundo a revista, essa pessoa afirma que ela voltou a beber desde junho, após passar seis anos sóbria. "Muita gente sabia que ela estava bebendo de novo, mas não que tinha voltado as drogas. Nossa maior preocupação era o álcool".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas