Web Alunos pernambucanos fazem versão de Marília Mendonça para denunciar problemas ambientais Em releitura da música De quem é culpa? estudantes alertam para descarte irregular de lixo e as consequências para o bairro do Jordão Baixo

Por: Marina Simões - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/06/2018 11:19 Atualizado em: 14/06/2018 11:51

A turma do Colégio João Paulo, no bairro do Jordão Baixo, na Zona Sul do Recife, apresentaram a versão da canção sertaneja para moradores do bairro. Foto: Facebook/Reprodução
A turma do Colégio João Paulo, no bairro do Jordão Baixo, na Zona Sul do Recife, apresentaram a versão da canção sertaneja para moradores do bairro. Foto: Facebook/Reprodução
Na Semana do Meio Ambiente, os alunos de uma escola pernambucana fizeram releitura da música De quem é culpa?, da cantora Marília Mendonça, para questionar quem são os responsáveis pelos problemas ambientais. A turma do Colégio João Paulo, no Jordão Baixo, Zona Sul do Recife, apresentou a versão da canção sertaneja para moradores do bairro. 

"Estamos morrendo sim/ Destruindo o planeta/Poluindo nosso ar/ Entupido as canaletas", diz trecho. A atividade teve a orientação e coordenação do professor de ciências Ivson Lima e fez parte do projeto Oasis Educação Ambiental. "Os alunos fizeram uma pesquisa de campo na comunidade para identificar os pontos mais afetados com o descarte irregular de lixo e suas consequências. A proposta era produzir uma mensagem como forma de conscientizar a população", explica o professor.  

A faixa De quem é a culpa? faz parte do segundo trabalho de Marília Mendonça, o DVD Realidades (2017), gravado em Manaus. A letra romântica foi composta por Marília e o parceiro musical Juliano Tchula.  

Os estudantes entrevistaram moradores, coletaram e calcularam os dados e traçaram comparativos. Ao final da atividade, sugeriram soluções através de um panfleto que foi entregue para os vizinhos da instituição. A culminância do projeto teve apresentações na quadra da Academia da Cidade em forma de poesias, hip hop, paródias e encenação de teatro. 

Assista:

Os alunos do Colégio João Paulo no Jordão Baixo, escreveram e apresentaram para a comunidade local, uma paródia da música "De quem é a culpa" (@mariliamendoncacantora) fazendo uma reflexão sobre de quem é a culpa dos problemas ambientais do bairro. A atividade teve a orientação e coordenação do professor @ivsonlimabio administrador do @oasis.educacao.ambiental Confiram como ficou bacana! Letra: Estamos morrendo sim Destruindo o planeta Poluindo nosso ar Entupido as canaletas E o que vai ser de nós Se Ninguém ajuda Nosso planeta não atura, tortura, loucura E olha só essa sua postura Todo mundo poluindo tudo Eu só queria ter um mundo limpo Mas você destruiu É tipo um vício será que tem cura? E agora de quem é a culpa? A culpa sua por fazer isso errado? Ou a culpa é minha por não ter ensinado, bem antes?! Refrão - Não finja que eu não tô falando com vc Que está jogando o lixo na rua Eu estou preso no alagamento Graças ao lixo que jogou na rua. Não finja que eu não tô falando com vc Ninguém entende o que eu tô falando Quem é o Jordão que eu não conheço mais ... Pois eu achei que éramos mais racionais.

Uma publicação compartilhada por Oásis (@oasis.educacao.ambiental) em


Confira a letra:

Paródia: De quem é a culpa?

Estamos morrendo sim
Destruindo o planeta
Poluindo nosso ar
Entupido as canaletas

E o que vai ser de nós
Se ninguém ajuda
Nosso planeta não atura, tortura, loucura

E olha só essa sua postura
Todo mundo poluindo tudo
Eu só queria ter um mundo limpo
Mas você destruiu
É tipo um vício será que tem cura?
E agora de quem é a culpa?
A culpa sua por fazer isso errado?
Ou a culpa é minha por não ter ensinado, bem antes? 

Refrão: 
Não finja que eu não tô falando com você
Que está jogando o lixo na rua
Eu estou preso no alagamento
Graças ao lixo que jogou na rua

Não finja que eu não tô falando com você
Ninguém entende o que eu tô falando
Quem é o Jordão que eu não conheço mais...
Pois eu achei que éramos mais racionais


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas