TV Em busca de pluralidade, Roda Viva muda perfil ideológicos de entrevistadores e entrevistados O objetivo é alternar perfis ideológicos de entrevistadores e entrevistados, além de garantir a presença de negros e mulheres

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/05/2018 10:21 Atualizado em:

A entrevista com o presidenciável Guilherme Boulos (PSOL) teve 0,5 ponto na Grande São Paulo. Foto: TV Cultura/Reprodução
A entrevista com o presidenciável Guilherme Boulos (PSOL) teve 0,5 ponto na Grande São Paulo. Foto: TV Cultura/Reprodução

O programa de entrevistas Roda viva, exibido pela TV Cultura desde 1986, terá mudanças que vão além da figura do âncora. De acordo com a Folha de S. Paulo, a direção quer retomar o tom plural de outrora. Para isso, Augusto Nunes foi desligado da bancada e o jornalista Ricardo Lessa foi contratado no mês passado. O objetivo é alternar perfis ideológicos de entrevistadores e entrevistados, além de garantir a presença de negros e mulheres. Também existe uma intenção de aproximar os debates dos assuntos em voga nos noticiários.

Embora a estratégia tenha surtido efeito na internet, a audiência do programa ainda não alavancou. A entrevista com o presidenciável Guilherme Boulos (PSOL), por exemplo, teve 0,5 ponto na Grande São Paulo. O recorde dos últimos anos foi justamente a despedida de Nunes na atração - quando o jornalista entrevistou o juiz Sergio Moro, alcançado 3,8 pontos. Nos últimos 15 anos, a média anual só ultrapassou 1 ponto no Ibope em 2013 e 2014.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas