• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Dança Espetáculo 'Em comum' estreia nesta quinta para comemorar 30 anos da Cia. dos Homens Montagem reúne quatro coreógrafos que já tiveram alguma ligação com a companhia em torno da temática dos bonecos

Por: Isabelle Barros

Publicado em: 08/03/2018 14:20 Atualizado em:

Bonecas de pano estão entre os objetos a serem manipulados pelos bailarinos. Crédito: Murilo Malta/Divulgação
Bonecas de pano estão entre os objetos a serem manipulados pelos bailarinos. Crédito: Murilo Malta/Divulgação

O universo dos bonecos foi escolhido pela Cia. dos Homens para comemorar seus 30 anos de existência, marcados pela estreia do espetáculo Em comum, com quatro sessões desta quinta (8) a sábado (10) no Teatro Luiz Mendonça. A união de quatro coreógrafos distintos, todos ligados de alguma forma à trajetória da companhia, resulta numa montagem chega de memórias afetivas, ligadas entre si pelas diversas formas de manipulação dessas figuras tão tradicionais em Pernambuco. A montagem terá audiodescrição nas sessões de sexta e sábado. Esta é a primeira produção desde Palavra úmida (2008), apresentada em uma piscina.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Os criadores dos movimentos do espetáculo foram Cláudia São Bento, diretora da Cia. dos Homens desde 1998, Airton Tenório, um dos fundadores do grupo, à frente dele de 1988 a 1997, além de Cláudio Lacerda, integrante do elenco de 1992 a 1997 e Isabel Ferreira, bailarina da companhia há dez anos. Ela estará no palco junto com a própria Cláudia, Dayvison de Albuquerque, Thainá Sousa e Jefferson Figueiredo. “Cada um levou sua experiência. Ayrton, por exemplo, lembrou da infância e fez experiências com bonecas de pano. Cláudio, por sua vez, trabalhou com manequins e eu pedi para o artesão Antero Assis fazer uma boneca especialmente para o Em comum”, detalha Cláudia.

A união da dança contemporânea com o teatro de formas animadas começou a ser testada pelo grupo em 2009, quando eles realizaram seis oficinas, passando por máscaras, marionetes, fantoches e sombras. A manipulação dos bonecos se tornou metáfora para pensar sobre o que move as pessoas. “Dei liberdade aos coreógrafos para criar em cima do mesmo tema e várias coisas em comum surgiram, daí o nome do espetáculo. Fui a última a coreografar justamente para fazer esse fio condutor. Fizemos um estudo dos movimentos por meio dos bonecos e nos perguntamos sobre o jogo entre os seres animados - os bailarinos - e os inanimados. Até onde somos manipulados?”, completa Cláudia.

Para Airton, que saiu de Pernambuco para trabalhar no Rio de Janeiro e passou pela Cia. de Dança Deborah Colker, esta é uma chance de se reconectar com o cenário da dança do Recife. “Cada um de nós usou um recorte, e, no total, ficamos com aproximadamente 15 minutos cada um. Apesar de todas as dificuldades, a dança evoluiu muito por aqui”.
 
SERVIÇO
Em Comum, da Cia. dos Homens
Quando: Quinta (8) e sexta (9), às 20h e sábado (10), às 16h30 e 20h
Onde: Teatro Luiz Mendonça - Parque Dona Lindu - Avenida Boa Viagem, s/n, Recife
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia), à venda no Ballet Cláudia São Bento e na bilheteria do teatro uma hora antes do espetáculo
Informações: 3266-1506

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas