• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão Ator Mário Gomes lembra luta contra síndrome do pânico: 'A gente não se cura, mas aprende a controlar' Aos 65 anos, artista ficou dez fora da televisão

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 28/02/2018 11:26 Atualizado em: 28/02/2018 14:44

Atualmente ele está no elenco de Tempo de Amar, na Globo. Foto: Gshow/Reprodução
Atualmente ele está no elenco de Tempo de Amar, na Globo. Foto: Gshow/Reprodução

Aos 65 anos de idade, o ator Mário Gomes voltou à Globo para uma participação na novela Tempo de amar, exibida na faixa das 18h na emissora. Ele também foi homenageado durante o Vídeo show e emocionou os apresentadores Otaviano Costa e Sophia Abrahão com um relato sobre o nascimento da primeira filha, Linda, e sobre como lida com a síndrome do pânico. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

"Eu tinha síndrome do pânico, tenho, a gente não se cura, mas aprende a controlar essa ansiedade, vivia sempre com angústia e estava meio desajustado na vida amorosa, tinha muitas namoradas antes da Linda chegar", disse ele. "Quando ela nasceu, não estava preparado. Me lembro que entrei em crise, pois não me sentia maduro o suficiente para ser pai. Fui para o analista para trabalhar a afetividade. Foi ali que eu entendi o que era o amor", completou, afirmando que o nascimento da primeira filha o trouxe maturidade. 

"A gente tinha que ter duas vidas, uma para ensaiar e uma para viver. Todas as experiências serviram para me tornar o cara que sou. Sou satisfeito comigo, então está tudo ótimo", contou Mário, que passou dez anos longe das telas. No ano passado, ele revelou que estava investindo no ramo dos food trucks e passou a vender sanduíches em uma praia do Rio de Janeiro. Curiosamente, seu personagem em Tempo de amar, Eleutério, tem a mesma ocupação. 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas