• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão Filme pernambucano questiona 'incompatibilidade' entre igreja e sexualidade Produção do canal Futura, Preces Fora do Armário foi rodado no estado e no Rio de Janeiro

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/02/2018 17:50 Atualizado em: 27/02/2018 18:37

Documentário reúne depoimentos pessoais sobre fé e diversidade sexual. Foto: Futura/Divulgação
Documentário reúne depoimentos pessoais sobre fé e diversidade sexual. Foto: Futura/Divulgação


O pesquisador e diretor Márcio Andrade utilizou a experiência pessoal como elemento circunstancial para a elaboração do primeiro curta-metragem, o documentário Preces fora do armário, que estreia nesta terça-feira, às 18h45, no canal Futura - também está disponível no Futura Play. A produção aborda a diversidade sexual e o exercício da fé a partir de depoimentos reais.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Evangélico por dez anos, Andrade foi "criado" na Igreja de Deus, em Ouro Preto, em Olinda, onde participava de grupos de teatro e outras atividades. "Parei de me identificar com a igreja quando passou a aflorar a questão da sexualidade", disse o diretor. Com um viés autobiográfico, a partir do momento de transição de Andrade, filme reúne depoimentos de pessoas com dilemas semelhantes.

Rodada no Rio de Janeiro e em Pernambuco, a produção tem como objetivo provocar o diálogo em torno da temática de orientação sexual e religião. O filme questiona o discurso de incompatibilidade entre os dois assuntos. "Eu sofria mais um preconceito interno. Não era uma coisa tão clara essa questão da fé e ter uma sexualidade considerada desviante", comenta Andrade. Entre os entrevistados, Cristiana Serra representa o grupo Diversidade Católica, que pesquisa o assunto sistematicamente e abriga gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais.

No documentário, ela discorre sobre as narrativas discriminatórias existentes em religiões, como "se você for gay, vai para o inferno". Depoimentos exemplificam situações vivenciadas em reuniões de igreja, por exemplo, no qual o discurso preconceituoso era imposto. Para Andrade, o documentário visa ampliar esse olhar e reduzir a polarização entre sexualidade, a partir da abordagem dos conflitos que envolvem motivações e tabus.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas