• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Cinema Produtora de Harvey Weinstein, acusado de assédio, vai declarar falência 'A direção não tem outro remédio', disse a empresa, em comunicado

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 26/02/2018 09:42 Atualizado em: 26/02/2018 10:18

Produtor afirmou estar em centro de tratamento após diversas acusações de assédio. Foto: AFP Photo
Produtor afirmou estar em centro de tratamento após diversas acusações de assédio. Foto: AFP Photo

A produtora The Weinstein Company vai declarar falência depois que a justiça tentou impor condições à venda da empresa, que teve com um dos fundadores o antes todo-poderoso produtor de Hollywood Harvey Weinstein. A empresa entrou em declínio desde que começaram a ser divulgadas, em outubro, as denúncias de assédio sexual, abuso e estupro contra Weinstein, produtor de filmes premiados como O artista, O discurso do Rei e outros. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

"Apesar de reconhecermos que este é um resultado extremamente infeliz para nossos funcionários, nossos credores e qualquer vítima, a direção não tem outro remédio que buscar a única opção viável para maximizar o valor restante da empresa: um processo de falência", afirma a comissão de diretores da Weinstein Company em um comunicado citado pelo jornal Los Angeles times. 

O New York times também divulgou a informação. Os jornais relataram o fim das negociações entre a Weinstein Company e um grupo de investidores liderado por Maria Contreras-Sweet, uma funcionária do governo do ex-presidente Barack Obama. O grupo estava pronto para concluir uma negociação de compra da Weinstein Company por quase 500 milhões de dólares, até o momento em que o estado de Nova York abriu processo contra a produtora em 11 de fevereiro por não proteger suas funcionárias do assédio e agressão sexual. A justiça bloqueou a operação. 

A ação contra Weinstein, seu irmão Bob e a produtora foi apresentada diante do temor de que a venda iminente da empresa poderia deixar as vítimas sem a possibilidade de uma indenização adequada. Desde a divulgação do escândalo Weinstein, dezenas de ações civis, pelo menos duas coletivas, foram apresentadas contra Harvey Weinstein e a Weinstein Company, sobretudo por mulheres que denunciam terem sido agredidas pelo famoso produtor de Hollywood. 

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas