• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Shows Carnaval 2018: Marco Zero tem madrugada embalada pela música pop Programação começou com o projeto Frevibe e contou ainda com Devotos, Natiruts, Skank e Nando Reis

Por: Breno Pessoa

Publicado em: 13/02/2018 09:30 Atualizado em: 13/02/2018 09:26

Skank se apresentou pela primeira vez no carnaval do Recife. Foto: Breno Pessoa/DP
Skank se apresentou pela primeira vez no carnaval do Recife. Foto: Breno Pessoa/DP

Do frevo ao hardcore, passando pelo reggae e pop rock, não faltou variedade na programação da segunda-feira de carnaval no Marco Zero, principal polo de atrações do Bairro do Recife. A noite começou com o mais regional dos ritmos, pelo projeto Frevibe, capitaneado por Silvério Pessoa.


Acompanhado de outros artistas locais, Silvério apresentou um repertório de frevos famosos, abrindo a noite com Me segura, senão eu caio, de Jota Michiles, um dos homenageados do carnaval do Recife deste ano, ao lado de Nena Queiroga. Acompanhado de Flaira Ferro nesta canção, o músico abriu o show de forma vibrante. Outros convidados que passaram pelo palco foram Almério, Ylana Queiroga, Romero Ferro e Tibério Azul. 

Pela primeira vez no Marco Zero, Devotos foi a segunda atração da noite e trouxe um peso também inédito para o polo carnavalesco. O público, aliás, recebeu bem o hardcore engajado da banda do Alto Zé do Pinho, responsável pela apresentação mais politizada da noite. "A mulher tem direito de fazer o que ela quiser com seu corpo, de beijar quem ela quiser", declarou o vocalista Canibal em uma das passagens do show, convidando as mulheres a fazer uma roda só formada por elas, durante a execução de Roda punk, uma das últimas faixas da noite. 

Natiruts fez uma das performances que mais empolgaram o público. Acompanhados em coro durante praticamente todas as músicas, a banda mostrou uma base de fãs sólida. Ainda no início do show, o vocalista, Alexandre Carlo, fez um pedido a quem acompanhava a apresentação: "A todos vocês do Marco Zero, eu pediria as mãos de vocês elevando energia total. a gente sabe que muitas mãos nesse carnaval foram erguidas para dizer 'fora Temer'. As nossas também estão erguidas por esse motivo". O músico também chegou a pedir atenção na época da eleição e enfatizou a importância do voto consciente. 


Também com repertório repleto de hits, Skank entrou no palco com Do mesmo jeito, faixa do último álbum da banda, Velocia (2014). Uma partida de futebol, Saideira, Canção noturna e também covers como É proibido fumar e Vamos fugir, fizeram parte do setlist dos mineiros, pela primeira vez se apresentando no carnaval do Recife.


O desfecho para a programação que atravessou a madrugada ficou a cargo de Nando Reis, outro estreante no palco do Marco Zero. "O palco é sempre uma coisa desafiadora, por mais profissional que eu seja, por mais acostumado que eu esteja. Dá um certo medinho", confessou o artista ao Viver antes de iniciar a apresentação. De faixas da carreira solo, a exemplo de O mundo é bão, Sebastião, a sucessos ao lado do Titãs, como Marvin e Os cegos do castelo, o repertório abriu espaço também para covers, como Onde você mora, de Cidade Negra.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas