• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Carnaval Mistura de ritmos no palco do Marco Zero neste sábado De frevo a rock, os shows no polo principal contaram com a participação de Marron Brasileiro, Fafá de Belém, Lenine, Paralamas do Sucesso e Gaby Amarantos

Por: Manuela Cavalcanti - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/02/2018 10:44 Atualizado em: 11/02/2018 10:55

Lenine cantou o sucesso "Só da tu", da Banda A Favorita. Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP
Lenine cantou o sucesso "Só da tu", da Banda A Favorita. Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP

Uma mistura de ritmos tomou conta do palco do Marco Zero na noite desse sábado de Zé Pereira. De frevo a rock, os shows no polo principal contaram com a participação de Marron Brasileiro, quem abriu a segunda noite de espetáculos, seguido de Fafá de Belém, Lenine, Paralamas do Sucesso e Gaby Amarantos. Entre versos e marchinhas, alguns hits do carnaval 2018 apareceram, como Só da tu e Que tiro foi esse?, lembradas por Lenine e Gaby Amarantos durante apresentações. Só não teve o mais sucesso da pernambucana MC Loma, Envolvimento, que está classificada entre os cinco vídeos mais vistos do período no YouTube brasileiro.

Com 34 anos de estrada e primeiro álbum lançado em 1986, o cantor e compositor Lenine agitou a multidão e despontou gritos de "quero mais" ao fim do show. Uma de suas músicas de despedida foi Alzira e a torre, quando arriscou ainda cantar um trecho do hit pernambucano Só da tu, da banca A Favorita, e recebeu respostas positivas do público. Seu show foi sucedido pelo rock oitentista do Paralamas do Sucesso. Formada por Herbert Vianna (guitarra e vocal), Bi Ribeiro (baixo) e João Barone (bateria), a banda completa neste ano 34 anos de estrada desde o primeiro álbum lançado. A lista de êxitos dos músico inclui canções como Lanterna dos afogados, Big band e Aonde quer que eu vá.

A banda Paralamas do Sucesso também foi um dos destaques na noite deste sábado. Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP
A banda Paralamas do Sucesso também foi um dos destaques na noite deste sábado. Foto: Manuela Cavalcanti/Esp. DP
Em entrevista antes de subir ao palco, o baterista João Barrone destacou a felicidade de se apresentar no Recife. "Participar dessa festa é sempre altíssimo astral, e hoje a gente vê como o carnaval está proporcionando essas entrada de músicas que não são essencialmente carnavalescas". Conhecido como "as baquetas mais velozes da América Latina", Barone ainda enfatizou que o grupo permanece unido desde dos anos 1980 graças ao amor que cada um tem pelo que faz.

Diversidade e respeito, tanto de ritmo quanto de aceitação e gênero. Assim foram firmadas as principais participações no palco do Marco Zero. Depois de se apresentar no Galo da Madrugada pela manhã, Fafá de Belém subiu ao palco cantando o Hino de Pernambuco, uma forma encontrada pela artista de homenagear os foliões. Ciranda da Rosa Vermelha, Madeira que cupim não rói, Voltei Recife e Batutas de São José foram alguns dos sons lembrado por Fafá durante a apresentação. Ela aproveitou ainda para cantar o pop conhecido pela voz de Lulu Santos Toda forma de amor. "Eu sou do brega, do frevo e de todos os ritmos, eu sou mulher livre. E o carnaval de 2018 simboliza isso tudo, muita diversidade, de ritmo e de gênero. Nós somos quem queremos ser, temos a liberdade dessa escolha."

O discurso de empoderamento não foi único nos palcos, Gaby Amarantos também fez questão de enfatizar o direito da mulher: "Quando eu digo não é não, após isso é assédio". A frase faz alusão à forte campanha que ocorre em diversos estados contra a violência da mulher e o preconceito no carnaval. No Recife, inúmeros cartazes tomaram forma nas ruas e alertam para que qualquer ato indesejado seja denunciado como crime. Entre os sons de Vai malandra, da cantora Anitta, e KO, de Pabllo Vittar, Gaby Amarantos aproveitou para apresentar algumas "respostas" a músicas que denigrem a mulher. A principal paródia foi em cima da letra de Agora vai sentar, dos MCs Jhowzinho e Kadinho.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas