• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Arte Mafioso confessa que Caravaggio roubado foi partido e vendido em pedaços Desaparecido há 49 anos, o roubo do quadro Natividade é um dos mais famosos da história

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 08/02/2018 16:15 Atualizado em:

A obra de Caravaggio é uma das mais procuradas do mundo. Foto: Internet/Reprodução
A obra de Caravaggio é uma das mais procuradas do mundo. Foto: Internet/Reprodução


Natividade com São Francisco e São Lourenço é um dos quadros mais célebres do artista italiano Caravaggio. Pintada em 1609, a obra foi roubada em 1969 do oratório de São Lorenzo, na cidade siciliana em Palermo. O roubo se tornou em um dos mais conhecidos do mundo. Gaetano Grado, mafioso que confessou o destino da obra de Caravaggio, revelou em detalhes que a pintura desaparecida há quase 50 anos teria sido cortada em seis a oito partes.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

Segundo ele, ainda em 1970, a obra tinha sido levada para o exterior pelo mafioso Gaetano Badalamenti que teria recebido dinheiro para realizar a transação. "Gaetano Badalamenti teria se encarregado de levar o quadro para o exterior, provavelmente para a Suíça", revelou o criminoso. Badalamenti, que morreu em 2004 nos Estados Unidos, também relatou para Gaetano Grado que a obra foi despedaçada para ser vendida no mercado negro.

As informações anteriores da polícia tinham sido recebidas pelo mafioso Francesco Marino Mannoia. No relato, Francesco revelou que o quadro tinha sido deixado em um esconderijo, comido por ratos e depois queimado pelos mafiosos. O furto de Natividade é um dos mais conhecidos. Procurado desde a época do crime, o paradeiro da obra de Caravaggio se tornou uma incógnita para a polícia italiana. A pintura também está na lista do FBI entre as dez principais obras de arte desaparecidas.

Muitos mitos alimentam o desaparecimento da famosa pintura. Entre eles, a de que está de posse da máfia e, devido a isso, não pode ser encontrada por ter as digitais dos mafiosos. Atualmente, existe uma réplica digital fiel da obra na mesma capela de onde a pintura original foi roubada em Palermo.

Acompanhe o Viver no Facebook: 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.



Últimas