• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Música Festival em Peixinhos celebra 25 anos do manguebeat com Nação, Mundo Livre e outros shows gratuitos Evento tem como objetivo valorizar cena local e chamar a atenção para o Nascedouro de Peixinhos

Por: Matheus Rangel

Publicado em: 06/02/2018 08:41 Atualizado em: 06/02/2018 10:01

Bandas Nação Zumbi e Mundo Livre S/A são algumas das atrações principais. Fotos: Tom Cabral e Felipe Martins/Divulgação
Bandas Nação Zumbi e Mundo Livre S/A são algumas das atrações principais. Fotos: Tom Cabral e Felipe Martins/Divulgação

Treze artistas, de diferentes pontos do país, estão escalados para subir ao palco do Festival Cena Peixinhos, nesta quarta-feira (7). A maior parte deles, contudo, é da própria comunidade, situada em Olinda, e está junta para jogar luz sobre as manifestações culturais lá realizadas, além de lutar pelo histórico Nascedouro de Peixinhos, sofrendo com a falta de verbas. As bandas Nação Zumbi, Mundo Livre S/A e o cantor André Sampaio (fundador do grupo Ponto de Equilíbrio, agora em projeto solo) estão entre as atrações desta edição, em homenagem aos 25 anos do manguebeat. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre 

Os shows ocorrerão no próprio Nascedouro, das 15h à 0h30, com entrada gratuita. Carranza!, Banda Viruz, Projeto Etnia, Banda Capim Santo, Carol Ribeiro, Ciel Santos, Os Magnatas da Beira-Mar, Plugins, Coco na Pisada do Mestre, Suprema Corte, Projeto Arrete e Ataque Suicida completam a programação. O produtor Harryson Moura, à frente do evento, defende que o intuito principal é mostrar para quem vem de fora que a cultura em Peixinhos é viva. "Queremos dar mais vida e visibilidade às manifestações culturais existentes na comunidade. A intenção é trazer artistas de peso, chamar o grande público e fazê-lo apreciar os nomes locais", diz. 

Outra bandeira levantada pelo festival é o cuidado com o Nascedouro de Peixinhos, construído em 1919 (como Matadouro) e desativado em 1970. Parte do espaço foi revitalizada em 2006 e transformada no Centro Cultural e Desportivo Nascedouro de Peixinhos, que ainda sofre com estrutura precária e falta de cuidados pelo poder público. A reforma do Centro Tecnológico de Cultura Digital, que integra o centro, também está sendo reivindicada. "Precisamos chamar a atenção para o Nascedouro de Peixinhos porque está abandonado e fechando as portas", pontua Harryson. 

Ele promete um festival de "grande porte" e com qualidade. "A partir do momento em que você traz Nação Zumbi, Mundo Livre e André Sampaio, além de outras atrações locais, você tem um evento de grande porte. Peixinhos já sofreu demais e a realidade dentro da comunidade é outra, completamente diferente. Mas o público vai encontrar um festival com qualidade e segurança", garante ele. 

Acompanhe o Viver no Facebook: 




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas