• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Folia 'Fico triste com a desvalorização dos bailes de carnaval', diz Elba, atração do Municipal Elba Ramalho, Nena Queiroga, Jota Michiles, Spok, André Rio e Almir Rouche, Silvério Pessoa e Romero Ferro são atrações da festa

Por: Emannuel Bento - Diario de Pernambuco

Publicado em: 02/02/2018 18:58 Atualizado em:

Cantora também está escalada para o carnaval do Recife. Foto: Andrea Rêgo Barros/Divulgação
Cantora também está escalada para o carnaval do Recife. Foto: Andrea Rêgo Barros/Divulgação

Criado no início da década de 1960 para divulgar músicas do carnaval da cidade, o Baile Municipal do Recife segue sendo realizado como uma das festividades mais tradicionais do período pré-carnavalesco. Em 2018, a festa chega em sua 54ª edição tendo o frevo como a grande estrela da noite. Nena Queiroga e Jota Michiles, homenageados do carnaval do Recife deste ano, serão os anfitriões, dividindo palco com nomes como Elba Ramalho, Spok, André Rio, Almir Rouche e Romero Ferro. Este último será responsável pela abertura, com os convidados Clarice Falcão, Priscilla Senna (Musa do Calypso), Silvério Pessoa e Cannibal.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

Será neste sábado, a partir das 21h, no Classic Hall (Avenida Agamenon Magalhães, Salgadinho, Olinda). Os ingressos custam R$ 50 (pista) e R$ 600 (mesa para quatro pessoas), à venda no Ticket Folia dos Shoppings RioMar, Recife, Tacaruna, Boa Vista e Guararapes ou pelo site ticketfolia.com. A renda arrecadada será revertida para instituições que atuam com assistência social.

Elba Ramalho, uma das principais atrações da noite, se disse honrada por marcar presença em mais um ano do evento. "Já virou uma tradição a minha participação no Baile com o maestro Spok. Tenho ótimas lembranças desta festa, como na ocasião que cantei com Ivete Sangalo e com Samuel Rosa", recorda. No repertório, ela promete "frevos, cirandas e até um rock estilizado dos Titãs".

Até a quarta-feira de cinzas, Elba fará outros shows em Pernambuco, como a Queirogada e o evento Carvalheira na Ladeira. Em março, ela volta com o projeto O grande encontro.

SERVIÇO
Baile Municipal do Recife, com Romero Ferro, Elba Ramalho, Spok, André Rio e Almir Rouche, Silvério Pessoa, Nena Queiroga e Jota Michiles
Quando: Sábado, às 21h
Quanto: R$ 50 (pista), R$ 600 (mesa para 4 pessoas), à venda no Classic Hall e no Ticket Folia (Shoppings RioMar, Recife, Tacaruna, Boa Vista e Guararapes) ou pelo site do Ticket Folia
Onde: Classic Hall (Avenida Agamenon Magalhães, s/n, Salgadinho, Olinda)
Informações: 3427-7501

Entrevista // Elba Ramalho 

A tradição do baile de carnaval vem perdendo força no Recife. Atualmente o público se sente cada vez mais atraído por shows. Como enxerga esse movimento?
Os bailes fazem parte do carnaval pernambucano. Preservar as tradições é preservar a cultura, é preservar a nossa identidade. Fico triste com esta desvalorização, é uma pena. Um show pode ser apenas um modismo, mas os bailes representam muito mais que um modismo.

Os homenageados do carnaval do Recife neste ano são Nena Queiroga e Jota Michiles. Qual sua relação com eles?
Fiquei muito contente com os homenageados deste ano. Eu que sempre gravei frevos ao longa da minha carreira, já gravei diversas composições de Michiles. Nena é uma amiga, é irmã do meu baterista Tostão Queiroga, irmã de Lula Queiroga; tenho uma relação de amizade com a família.

No mesmo dia do Baile Municipal do Recife você vai comandar o bloco Frevo Mulher, em São Paulo. Sente que o carnaval de rua está crescendo por lá?
Sim, pela primeira vez vou ter um trio em São Paulo! Definitivamente está crescendo sim, e graças ao carnaval que Pernambuco vem realizando tão bem ao longo dos anos!

Muitos pernambucanos questionam a ausência do brega nos polos do carnaval da cidade. Acredita que existe espaço para esse ritmo?
Costumo repetir uma citação: "No céu cabem todas as estrelas, todas têm seu brilho próprio". De qualquer modo temos que valorizar sempre a nossa cultura e os nossos ritmos nordestinos.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas