• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Televisão Alcance da imortalidade é mote da série de ficção científica Altered carbon Com dez episódios, produção é ambientada em um futuro muito distante

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 02/02/2018 19:40 Atualizado em:

Altered carbon possui dez episódios. Foto: Netflix/Divulgação
Altered carbon possui dez episódios. Foto: Netflix/Divulgação

Altered carbon, nova série de ficção científica da Netflix, estreia hoje no catálogo do serviço de streaming. Com dez episódios, a produção futurista é baseada na obra de Richard K. Morgan, ambientada no século 25. A trama acompanha personagens que desenvolvem uma evolução: a imortalidade. Com outdoors espalhados em várias capitais do Brasil, incluindo o Recife, o seriado tem ganhado projeção e vem despertando curiosidade por parte do público pelo grau de qualidade dos efeitos especiais e cenas de luta bem elaboradas.

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre


Parte do elenco da produção esteve no país em dezembro para participar da quarta edição da Comic Con Experience (CCXP) em São Paulo, onde foram divulgados clipe e prévia da obra. Os atores Joel Kinnaman, Martha Higareda, Renee Goldsberry, Dichen Lachman e Will Yun Lee apresentaram a série à plateia, comentaram preparação física dos bastidores e detalhes sobre os respectivos personagens. "A gente nunca viu nada do tipo na televisão. É a primeira vez que vemos algo nessa escala. Nós temos efeitos visuais que não deixam a desejar. Nossa classificação etária é alta, a gente consegue mostrar mais violência, mais cenas de sexo", afirma Joel Kinnaman.

O processo de preparação física foi intenso e incluiu lutas como boxe, karatê, capoeira, jiu-jitsu. De acordo com Dichen Lachman, a produção tem um diferencial na abordagem de gênero. "O gênero nesta série é algo obsoleto. Não é porque você é mulher que vai ser de um jeito. Não importa a capa que você está usando", analisa a atriz. O elenco exaltou a maneira como os personagens - femininos e masculinos - são fortes e vulneráveis ao mesmo tempo.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas