TV Globo compra direitos de exibição de Chaves e Chapolin Séries são atualmente exibidas pelo SBT

Por: Viver/Diario - Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/01/2018 14:49 Atualizado em: 30/01/2018 17:44

Produções são protagonizadas por Bolaños. Foto: SBT/Divulgação
Produções são protagonizadas por Bolaños. Foto: SBT/Divulgação

As famosas séries mexicanas Chaves e Chapolin devem estrear ainda neste ano no canal pago Multishow. A Globosat, um dos braços do Grupo Globo, firmou parceria com a rede Televisa e o Grupo Chespirito e comprou os direitos de exibição das atrações. A informação foi confirmada ao Viver pela assessoria de imprensa do canal de TV por assinatura. 

Quer receber notícias sobre cultura via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (81) 99113-8273 e se cadastre

O maior fã-clube dos programas, Fórum Chaves, publicou a informação em sua página após reunião na sede da Globosat para apresentação do projeto. Segundo eles, as séries já foram registradas na Ancine (Agência Nacional do Cinema), norma obrigatória para exibição na televisão. 

A empresa teria comprado 273 episódios de Chaves e 250 de Chapolin. Além deles, teriam sido registrados como First run mais 117 capítulos de Chaves e 127 de Chapolin, que são histórias inéditas no Brasil, de acordo com informações do fórum. Não há, ainda, previsão de quando as séries irão ao ar. Atualmente, Chaves é exibido nas manhãs de sábado e domingo pelo canal aberto da SBT.  

As duas atrações foram criadas pelo mexicano Roberto Gómez Bolaños, conhecido como Chespirito, e produzidas pela Televisa (Televisión Independiente de México). Chaves, a mais popular no Brasil, foi originalmente exibida entre 1971 e 1979 e é protagonizada por um garoto órfão e pobre que mora dentro de um barril em uma vila.

Quico (Carlos Villagrán), Seu Madruga (Ramón Valdés), Dona Florinda (Florinda Meza), Chiquinha (María Antonieta de las Nieves), Seu Barriga (Edgar Vivar) e Professor Girafales (Rubén Aguirre) são alguns dos outros personagens.

Acompanhe o Viver no Facebook:



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Últimas